domingo, 30 de dezembro de 2007

FELIZ ANO NOVO



São grandes as expectativas para o novo ano, muitos são os votos de felicidade, sucesso, paz, amor e alegria que recebemos daqueles que nos amam e até de quem nem conhecemos. Há um espírito de solidariedade e amor envolvendo a atmosfera.
Sabemos, no entanto, que pelas profecias bíblicas o mundo caminhará a passos largos para sua própria ruína.
Os sinais da vinda de Jesus são inegáveis: O aquecimento global, os terremotos, maremotos, pestes, fome, rumores de guerra, nações contra nações, e o cumprimento conforme a advertência de Paulo da mudança radical no caráter do homem:
“Sabe, porém, isto; nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, envaidecidos, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder.” 2ª Timóteo 3:1 -5.
E por se multiplicar a iniqüidade, o amor de quase todos se esfriará.
Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo. Mateus 24.12,13.
Basta assistirmos a uma retrospectiva do ano que passou tão rápido; ouvirmos as notícias, ler as principais revistas de fatos políticos, sociais, e constataremos estas cruéis verdades.
O homem se envolve apressadamente em descaminhos para a sua própria decadência trinitária e nega-se a ser confrontado com a verdade, e muito menos pensa em retratar-se.
Estaria sendo eu fatalista, sombria, pessimista? Os fatos e as profecias me respaldam. Quero apenas que ninguém ignore as verdades sagradas para não ser apanhado de surpresa diante das calamidades ecológicas e desintegração do homem.
No entanto, não é motivo de desespero, pelo contrário, é necessário nos alicerçarmos em uma fé sólida, racional em Deus, sabendo que assim como Ele levou o povo de Israel para a terra de Gósen e os preservou das pragas que avassalaram o Egito por haver eles escolhido o temor do Senhor, também preservará no dia mal aqueles que perseverarem em andar nos Seus caminhos, que são perfeitos para as nossas vidas.
Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o perverso, entre o que serve a Deus e o que não o serve. Malaquias 3:18.
Proclamemos, então, que teremos um novo ano de lutas, mas que seremos coroados de vitórias, porque O Eterno, O Todo Poderoso, continuará sendo o Senhor das nossas vidas e pelejará por nós. Guiomar Barba.
Leia Mais




quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

APOLOGIA DA NOSSA FÉ



Porque temos tanto prazer em transmitir a nossa fé?
E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.
Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. Marcos 16; 5,16.

Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela Sua manifestação e pelo Seu reino: Prega a palavra, insta quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina.
Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias concupiscências, como que sentindo comichão nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos a verdade, entregando-se às fábulas.
Tu, porém sê sóbrio em todas as coisas, suporta as aflições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério. 2ª Timóteo 4:1 a 5.

Quanta ao crescimento numérico dos evangélicos sem qualidade:
Santo Agostinho diz com muita profundidade: “Evangelize sempre. Se necessário, use palavras”.
Ele apenas está ratificando o que falou Jesus: Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai que está nos céus. Mateus 5:16.
Quando Jesus fala aqui sobre boas obras, Ele está falando em um sentido amplo, principalmente, que a minha vida deve ser coerente com a minha pregação.
Com certeza, todos os líderes sabem que ninguém engana a Deus e que o pastor deve zelar pelo seu rebanho.
Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo, porque isto não aproveita a vós outros. Hebreus 13:17.
Quantidade sem qualidade, em parte, é uma responsabilidade séria do líder. Digo no sentido de que ele esteja promovendo meios para atrair pessoas para sua comunidade com interesses escusos e não por amor. No entanto, não cabe a nós julgar quem é ovelha e quem é bode.

Deixe-os crescer juntos até a colheita, e, no tempo da colheita, direi aos ceifeiros: Ajuntai primeiro o joio, atai-o em feixes para ser queimado; mas o trigo, recolhei-o no Meu celeiro. Mateus 13:30.

Quanto a qualquer crença:
Há caminhos que ao homem parece direito, mas afinal são caminhos de morte. Provérbios 16:25.

Respondeu-lhe Jesus: Eu Sou O caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. João 14:6.

Somos de natureza pecaminosa. Ninguém melhor que nosso criador, aquele que nos entreteceu no ventre da nossa mãe nos conhece tão bem. Justamente por isso que ao ser chamado de bom pelo jovem rico, Jesus, que estava na terra vivendo como todos os homens, respondeu:
Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. Mateus 19:17.
Nossa bondade está limitada pelos nossos interesses. Veja a história desse jovem em Mateus 19:16 a 22. Realmente só Deus nos faz melhores e mais justos, se assim o desejarmos.

Tradução da Bíblia: ...sabendo primeiro isto, que nenhuma profecia da escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo. 2ª Pedro 1:20,21.

Realmente qualquer um de nós pode compreender e ter revelação da Palavra. O salmista Davi diz: Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra e luz, para os meus caminhos. Salmo 119:105.
O próprio Jesus nos adverte: “Examinai as escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de Mim testificam. João 5:39.
Se você freqüentar uma igreja evangélica que tenha um verdadeiro pastor, você vai ouvi-lo aconselhando o rebanho a não só ler, mas também estudar a palavra.
Quanto a interpretar cada um como bem entenda, já não seria correto, porque a palavra deve ser revelada pelo Espírito Santo. Ela não pode ser entendida somente pelo nosso intelecto, mas especialmente pelo nosso espírito. Portanto antes de lermos á palavra devemos sempre pedir ao Espírito Santo de Deus que nos traga à luz as verdades intrínsecas na palavra, porque a nossa interpretação intelectual é falha, ela não cogita das coisas do Espírito..
Não temos o direito apenas, mas o dever de ler a Bíblia para nosso crescimento espiritual que nos abençoará trinitáriamente.

Obrigação de ir à igreja: Realmente, você está apenas ratificando as palavras de Jesus quando diz que a igreja pode ser nossa casa e até um posto de gasolina: Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu Nome, ali estou no meio deles. Mateus 18:20. Igreja é corpo, e corpo de Cristo. Jesus afirmou para Pedro: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Mateus 16:18.

O apóstolo Paulo nos adverte: Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; Hebreus 10:25. Mas antes, no versículo vinte e quatro, ele dá um bom motivo para esta observação: Considerando-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e as boas obras.

Percebemos que templo sempre existiu e Jesus não só freqüentava, como também ministrava nas sinagogas. E Ele afirmou: A minha casa será chamada casa de oração; vós, porém, a transformais em covil de salteadores. Mateus 21: 13.
Lendo a bíblia você vai encontrar também Deus ordenando ao sábio rei Salomão não só que ele lhe edificasse um templo, como também dando a ele o modelo do templo.
E estes deveriam estar sempre à disposição dos fiéis para suas orações, para receberem ajuda espiritual dos sacerdotes, que deveriam viver única e exclusivamente a serviço dos filhos de Deus que necessitassem de assistência espiritual ou em qualquer outra área.

Quanto à parte ligada ao dinheiro: Encontramos o apóstolo Pedro prevenindo-nos de que: Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres... E muitos seguirão suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme. 2ª Pedro 2:1, 2,3.

No entanto, vejamos o conselho do apóstolo Pedro para os que têm liderança espiritual: Pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes, tornando-vos modelos do rebanho. 1ªPedro 5:2,3.

Creio na Bíblia, ela é a minha regra de fé e prática. Creio principalmente porque ela tem sido verdade na minha vida e de muitos que me cercam.
Estamos à disposição para quaisquer outros questionamentos. Que Deus nos abençoe e possamos crescer para honra e glória do Seu Santo nome. Guiomar Barba.
Leia Mais




terça-feira, 25 de dezembro de 2007

NOVAS ESPERANÇAS



Chegamos ao fim de mais um ano. Muitos de nós paramos e fazemos uma avaliação da nossa trajetória. Alguns se decepcionam, sentem-se frustrados, com a esperança como um pavio que fumega. Outros se fortalecem pelo sucesso, pelas muitas realizações, e renovam as suas expectativas para continuar a jornada.
Temos, no entanto, uma boa notícia para você que acha que não valeu a pena:

Jesus, não esmagará a cana quebrada, nem apagará a torcida que fumega, até que faça vencedor o juízo. E, no seu nome esperarão os gentios. (Nós que não nascemos em Israel). Mateus 12:20.
É exatamente na nossa impotência que Ele age, é exatamente quando tomamos decisões que não deram certo; quando o futuro se mostra escuro, e não vemos uma luz no fundo do túnel. Apenas Ele nos indica um caminho perfeito para o sucesso:
Porque assim diz Deus: Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranqüilidade e na confiança, a vossa força, Isaias 30:15.
Converter na linguagem bíblica também significa literalmente mudar de rumo. Nada mais é do que seguir pelo caminho certo. Para trilhar este caminho torna-se necessário submeter-se à soberania de Deus, desenvolvendo assim um relacionamento estreito com Ele.
Observando este sábio conselho do Eterno, poderemos sossegar, ficar tranqüilos e confiar, porque através do relacionamento íntimo com Ele teremos um conhecimento profundo do seu amor, longanimidade, bondade e tantos outros atributos dEle necessários à nossa frágil e finita natureza humana, nesta vida tão fugaz.
Nossa tênue esperança então se tornará poderosa, por que: Bendito o homem que confia no Senhor e cuja esperança é O Senhor. Jeremias 17:7.
Valeu a pena sim, você aprendeu com os erros e talvez os poucos acertos e descobriu o quanto necessita mais de Deus para continuar a estrada. Desejo-lhe um novo ano de prosperidade em todos os sentidos.
Guiomar Barba.
Leia Mais




sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

(SITE) PÃO QUENTE




"...está enfermo aquele a quem amas."(João,
11.3)

Orar é falar com Deus. É chegar-se a Ele com simplicidade, liberdade e
confiança. A oração é a mais eficaz das conspirações, pois coloca em movimento,
a nosso favor, todo o poder e atenção do Altíssimo.Devemos orar sempre, estejam
boas ou más as nossas condições. No entanto, a prática da maioria dos cristãos
parece mostrar que a oração é o 'último recurso', quando não há mais nada a se
fazer para resolver um problema.

Não há nada errado em orar ao Senhor quando estamos em apuros - demonstra temor
e reconhecimento da nossa finitude. Um problema que nos leva a orar pode ser
grande; aliás, sempre o é, e quanto maior, mais oração. O problema pode até ser
maior do que nós; no entanto, nunca maior que o
Altíssimo.

Quem ora está ao lado do Vencedor. Quem ora diz ao problema: "você terá uma
grande batalha contra o Altíssimo". Mas que oração é essa que produz esse
descanso?

A oração que Deus quer ouvir de nós é a que diz: "- Está com problemas aquele a
quem amas...". Experimentemos dizer: "Senhor, aquele a quem amas precisa de Ti".
É assim que se fala. É assim que se ora. Na certeza do amor de
Deus.

Lázaro precisava voltar à vida. Reaver sonhos, reviver a esperança e a alegria;
Jesus não somente o devolve à vida como também desembaraça sua maneira de andar.
Hoje, Ele pode fazer exatamente isso conosco, a quem Ele ama
intensamente.

À semelhança de Lázaro, Levantemo-nos, saiamos para a vida, para os desafios.
Confiemos no amor e na providência de Deus. Assumamos definitivamente uma nova
caminhada.

Que Ele nos
abençoe!
Rev.
Marcos da Silva Batista
Leia Mais




quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

ENVOLVIDOS COM CRISTO



Porventura não nos ardia o coração, quando Ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as escrituras? Lucas 24:32.

Apesar dos dois discípulos não terem reconhecido Jesus, ao aproximar-se deles no caminho de Emaús, quando Jesus lhes ministrava, o coração deles era aquecido por aquela presença marcante de palavras convincentes de verdade.
É impossível ao sentirmos a presença doce, tranqüila de Cristo, nosso coração não se encher de ternura, gratidão, louvor e mais sede de Deus.
O salmista Davi, rei de Israel, foi um dos homens que andava com Deus, amava Deus e transmitia através dos salmos uma comunhão ardente e um intenso desejo de estar com O Senhor.
Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por Ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando irei e me verei perante a face de Deus? Salmo 42:1.
O nosso amado apóstolo Paulo que foi arrebatado ao paraíso e teve revelações grandiosas a ponto de receber na carne um espinho para que na sua humanidade não se ensoberbecesse com a grandeza das revelações pôde ter o conhecimento claro de que nada neste mundo nos traz mais felicidade do que o desfrutar da comunhão com Deus. "Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo. Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo. Filipenses 3:7,8.
Realmente há uma felicidade imensa em nos entregarmos para sermos usados por Deus em meio aos necessitados.
Lembro-me do nosso filho Daniel mais ou menos com seus seis aninhos de vida quando fomos a uma aldeia na Paraíba evangelizar e levamos uma quantidade enorme de presentes, e revistas falando sobre o nascimento de Jesus, doação dos EUA e Canadá. E ele nos ajudava a distribuir os presentes para as crianças; em meio aquela multidão de crianças felizes ao receber o seu presente ele olhou para mim e disse: -Mainha, é melhor a gente dar do que receber. Meus olhos ficaram marejados de lágrimas, meu filho estava experimentando e repetindo na sua inocência as palavras de Jesus: Mais bem-aventurado é dar que receber. Atos 20:35.
Somente quando experienciamos este envolvimento com Deus e suas ações aqui na terra é que podemos compreender o envolvimento fervoroso de tantos que se dedicam ao serviço d Deus.
Viver a palavra e servir nos traz uma profunda felicidade. Guiomar Barba.
Leia Mais




segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

A QUEM HONRA, HONRA


.
“Aos que me honram, honrarei.” 1º Samuel 2:30.

Se alguém me quiser servir, siga-me; e onde eu estiver, ali estará também o meu servo; se alguém me servir, o Pai o honrará. João 12:26.

Mais uma vez o testemunho de Kaká nos traz a alegria de reconhecer que ele vive realmente sob o senhorio de Cristo e, consequentemente, recebeu a honra prometida por Jesus. Foi escolhido o melhor jogador do Mundial de Clubes da FIFA, realizado no Japão anualmente, e recebeu um prêmio milionário que colocou certamente a disposição do Reino de Deus.
Foi não só impactante como também inspirador o desprendimento deste jovem em um mundo onde a cobiça, a avareza, o ganho desonesto tem não só envolvido como descaracterizado até mesmo ministros religiosos. Simplesmente Kaká doou seus milhões para a reconstrução de um hospital em Israel.
Ele não só tem oferecido a sua vida a Deus como também tudo do que por direito lhe pertence. Este gesto me traz a memória um corinho que cantamos nas igrejas evangélicas:
“Não tenho palavras pra agradecer tua bondade, dia após dia me cercas com fidelidade. Nunca me deixes esquecer que tudo o que tenho, tudo o que sou e o que vier a ser vem de ti, Senhor!”
Minha oração é que nosso brilhante jogador nunca permita que o brilho dos holofotes, a glória das câmeras, ofusquem nele a luz de Cristo.
Cada um de nós pode honrar a Cristo no mais simples e até desconsiderado ofício, se o fizer com excelência.
E tudo quanto fizerdes, fazei-o de coração, como ao Senhor, e não aos homens, cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança. A Cristo, O Senhor, é que estais servindo. Colossenses 3: 23,24,
Pois toda a carne é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor; 1ª Pedro 1:24.
Honremos ao nosso Mestre. Guiomar Barba.
Leia Mais




domingo, 16 de dezembro de 2007

I belong to Jesus (Eu pertenço a Jesus)


Lá estava Kaká levantando sua camisa para que todos pudessem ler no seu peito que seu Senhor é Jesus. Mesmo sabendo que as regras da FIFA proíbem os jogadores de exibirem mensagens em camisas usadas por baixo da camisa do seu time. Ele ousou como Pedro e os apóstolos quando as autoridades queriam os impedir de proclamar a palavra: Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens. Atos 5:29.
Quando Kaká, estava na Itália, foi interrogado por repórteres a cerca da sua vida recatada enquanto os outros jogadores estavam aproveitando o tempo com mulheres e boates. Ele respondeu: E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Romanos 1:22.
Dinheiro, beleza, juventude e mulheres quantas quisesse a disposição, mas ele tinha e tem uma consciência de que o salário do pecado é a morte:
“Ora, as obras da carne são conhecidas e são: Prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.” Gálatas, 5:19,20,21.
Pertencer a Jesus é submeter-se ao Seu senhorio. Paulo, o crucificado com Cristo, nos aconselha: Andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. Porque a carne milita contra O Espírito, e o Espírito contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer. Gálatas 5:16, 17.
Dizer não ao pecado nos traz vitórias ímpares. Guiomar Barba.
Leia Mais




sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

José e Maria

Na cultura judáica, uma mulher flagrada em adultério devia ser apedrejada. Oficialmente, José e Maria já eram casados embora não houvessem ainda coabitado, porém, como estaria grávida? Era a questão que pertubava o coração do justo José. Teria lhe traído aquela virgem a quem ele amava, respeitara e confiara absolutamente? Claro, não havia para ele uma outra resposta, ali estava seu ventre intumescido, sua gravidez era óbvia. Teria Maria contado a visão que tivera, como lhe foi comunicado por um anjo o nascimento virginal de Jesus, e ele não lhe crera ou deixaria ela de contar-lhe por entender que ele não acreditaria? Finalmente nunca houve nada igual em toda terra, mas a história não nos conta detalhes. "Mas José seu esposo, sendo justo, e não querendo infamá-la resolveu deixá-la secretamente."Mateus: 1. 19 Preferiu ir-se desonrado, traído, apenas no seu coração e deixar que os demais tivessem a ele como um mal caráter que após engravidar uma virgem tão virtuosa, a abandonou à mercê do apedrejamento. Que homem de caráter nobre, justo e temente a Deus, foi escolhido para ser o pai adotivo do nosso salvador. Que serva de Deus extraordinária que não priorisou sua reputação nem mesmo diante do homem à quem amava, não temeu o apedrejamnto mas ofereceu a sua vida como oferta de amor e sacrifício: "Eis aqui a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a Tua palavra." Lucas 1:38 A disponibilidade absoluta e sacrificial deste casal trouxe ao mundo o menino de Belém. E Ele por sua vez se ofereceu como sacrifício pagando o preço dos nossos pecados, e agora nos cabe continuar a obra deste nazareno até que ele volte, e nos leve para morar eternamente ao seu lado. " Quão formosos são sobre os montes os pés dos que anunciam as boas novas, que faz ouvir a paz e anuncia boas coisas e que faz ouvir a salvação, que diz à Sião: O teu Deus reina." Isaías 52:7 Natal é o nascimento de Jesus dentro de nós. Guiomar Barba
Leia Mais




segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Meu Verdadeiro Natal

“Meu Jesus para sempre obrigada por nascer aqui dentro de mim.” Tantos anos se passaram e com eles as depressões da época natalina. Nem mesmo sabia o porquê do natal, fim de ano, me trazerem tanta nostalgia, tanto vazio, até as lágrimas, apesar de toda beleza, pureza e paz que percebia envolverem a época. Intrigava-me o fato de ouvir de tantas outras pessoas que tinham o mesmo sentimento. A loucura das lojas, o corre-corre em demanda de coisas e coisas, os olhares que traduzem pressa e o desejo de ter mais, as carinhas sujas apertadas contra as vidraças das lojas lotadas, a preocupação com a ceia de natal dividindo os casais: -Vai ser na casa de minha mãe. -Não! Da minha. As igrejas lotadas evidenciando que mais pessoas se lembraram de Jesus, as árvores natalinas dando mais cores aos lares, os enfeites nas portas de muitos cristãos, a beleza dos shoppings e lojas, disputando as melhores decorações. As ruas enfeitadas gritam: É natal! Parece que a própria natureza se transforma em festa dobrando os sinos ao menino de Belém. Era vinte e quatro de dezembro, a grande maioria iria comemorar tradicionalmente em família a noite que antecipa o suposto dia do nascimento de Jesus. Certamente a festa não seria na igreja, na casa do Pai, nem os presentes seriam para o aniversariante, mas para os parentes e amigos escolhidos. Talvez alguém se lembrasse entre uma taça e outra de expressar a gratidão pelo Filho de Deus haver nascido no mundo. Resolvemos convidar então da Igreja, as pessoas que não tinham com quem comemorar tão grande dia e outras que preferiam fazê-lo na casa do Pai, Jesus. Para quem deveriam ser os presentes? “E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” Mateus: 25. 40 Naquela memorável noite, enquanto preparávamos a ceias, fizemos uma oração ao Senhor pedindo-lhe que nunca mais permitisse que nosso coração fosse dominado por tristeza, depressão na noite de natal, quando comemorávamos o nascimento do nosso libertador. Naquele momento senti como se estivesse a sós com Deus, em um diálogo profundo e frutífero. Ele levou para sempre do meu coração aquela tristeza, e eu posso viver meu verdadeiro natal. “Meu Jesus para sempre obrigada por nascer aqui dentro de mim.” Guiomar Barba
Leia Mais




domingo, 25 de novembro de 2007

FÉ INABALÁVEL


Olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. Hebreus 12:2.

Se apenas lermos a galeria da fé em hebreus onze, o nosso coração se alegra e se entusiasma com tanta benção recebida pelos que compõem a galeria. No entanto, se estudarmos o que aconteceu a cada personagem antes da vitória, pensaremos duas ou mais vezes se estaríamos dispostos a submetermos-nos às provas que eles passaram para serem agraciados com tão maravilhosas bênçãos das quais foram alvo.
Por certo muitos de nós nos animaríamos a passar por conhecermos a Deus e a Sua infinita fidelidade, pensando também nos que, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões, extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força; fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros, mulheres que receberam, pela ressurreição, os seus mortos. Só bênçãos extraordinárias.
Mas ao nos depararmos com aqueles que foram torturados, passaram pela prova de escárnios e açoites, algemas e prisões, foram apedrejados, serrados ao meio, mortos ao fio da espada, andaram peregrinos, vestidos de pele de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos e maltratados, decapitado; não podemos perceber uma fé que nos impressione entre sofrimentos tão grandiosos que não trouxeram nenhuma vitória para que nos motivassem e encorajassem a seguir tais exemplos.
No entanto, vejamos que é exatamente nessa falta de recompensa nesta vida que reside a grandiosidade da fé destes homens. Eles foram considerados como homens dos quais o mundo não era digno. Errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da terra; eles tinham uma fé inabalável. Eram apenas estrangeiros e peregrinos sobre esta terra, e aspiravam a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade. Hebreus 11.
Estaríamos dispostos a sermos considerados como escórias desta terra pela excelência das coisas celestiais? Estamos dispostos a sermos ridicularizados, tidos como ignorantes, fanáticos, intolerantes e tantos outros adjetivos por defendermos uma fé que para muitos é ilusória ou irracional? Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. Hebreus 11:1. Guiomar Barba.
Leia Mais




quinta-feira, 22 de novembro de 2007

CREDO


Creio em Deus criador dos céus e da terra, do mar e de tudo que neles existe, e que criou a nós, homens, segundo a Sua imagem, conforme a Sua semelhança, macho e fêmea nos formou.
Creio em um Deus que zombou dos inimigos do Seu povo enviando pragas para o Egito, enquanto que na terra de Gosem, ali no mesmo país, Seu povo desfrutava da Sua proteção contra todas aquelas pragas.
Creio no Deus que abriu o mar vermelho para Israel passar e afogou os seus inimigos.
Creio que no Deus que no deserto sustentou o Seu povo com maná (comida dos anjos), abriu fontes de águas para saciar-lhes a sede. Enviou cordonizes mostrando o Seu poder. Conservou-lhes as roupas e as sandálias dos pés. Protegeu-os de dia com uma coluna de nuvem e a noite com uma coluna de fogo.
Creio no Deus que, protegendo um único profeta Seu, Elizeu, confundiu todo um exército poderoso deixando-o cego.
Creio em um Deus Que revestiu Josué de poder e fé e ele ordenou: Sol detém-te em Gibeom, e tu, lua, no vale de Ajalom. E o sol se deteve e a lua parou. Josué 10:12,13.
Creio no Deus de Elias e Elizeu, que deu a eles autoridade para ressuscitar mortos, multiplicar farinha e azeite de viúvas.
Creio no Deus que mandou um corvo levar pão e carne para Elias no ribeiro de Querite.
Creio no Deus dos apóstolos, de Pedro e Paulo que no nome de Jesus ressuscitaram mortos, fizeram grandes milagres, foram ultrajados, presos, mas jamais negaram sua fé.
Creio no Deus que enviou anjos e abriu portas de cárceres libertando os Seus servos para pregarem a Sua palavra.
Creio no Cristo que multiplicou cinco pães e dois peixes, limpou leprosos, deu vista a cegos, curou surdos e mudos, e libertou cativos de espíritos malignos, curou uma mulher que há doze anos padecia com um fluxo de sangue, libertou a mulher encurvada sob peso de espírito maligno, amou e perdoou os maiores pecadores.
Foi preso, crucificado, sepultado, mas ao terceiro dia ressuscitou em glória, subiu para o céu e está à destra de Deus e é nosso advogado junto Ao Pai, que também é nosso Pai e nosso Deus.
Creio no Cristo que foi, que é e que será para sempre. Portanto, creio no Cristo que curou minha avó de câncer, meu filho de sinusite, me curou de asma crônica, e com a imposição das minhas próprias mãos tem curado tantas pessoas e libertado cativos.
E estes sinais seguirão aos que crerem: Em Meu nome expulsarão os demônios, falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem s mãos sobre enfermos, eles ficarão curados. Marcos 16:17. Guiomar Barba.
Leia Mais




quarta-feira, 21 de novembro de 2007

AGRADEMOS A DEUS



Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-Se O Senhor de Abel e de sua oferta. Gêneses 4:4.
Amados, se o coração não nos acusar, temos confiança diante de Deus; e aquilo que pedimos dEle recebemos, porque guardamos os Seus mandamentos e fazemos diante dEle o que Lhe é agradável. 1º João 43:21,22.

O rei Saul foi repreendido pelo sacerdote Samuel porque em desobediência foi oferecer sacrifício ao Senhor.
Porém Samuel disse: Tem, porventura, O Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à Sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender melhor do que a gordura de carneiros. 1ª Samuel 15:22.
Só podemos agradar ao Senhor andando no Espírito, porque é Ele que nos convence do pecado, da justiça e do juízo. Paulo, escrevendo aos Romanos, é bem categórico: Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. 8:8.
Porém, ele não nos deixa sem entendimento de como agradar a Deus. Veja Iª Tessalonicenses 4:1 “Finalmente, irmãos, vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus, que assim como recebestes de nós, de que maneira convém andar e agradar a Deus, assim andai, para que possais progredir cada vez mais.
Recebestes como? Através das suas cartas inseridas nas escrituras. Portanto, mais uma vez constatamos a necessidade de conhecermos a bíblia para sabermos como agradar a Deus. Ouvi e a vossa alma viverá. Certamente, o Espírito Santo de Deus clareará a nossa mente ao lermos a palavra, além de que, se estivermos em comunhão com Deus, temos uma consciência que estará em paz testemunhando com o Santo Espírito.
Paulo tinha uma consciência tão aguçada sobre a necessidade de agradar a Deus para o julgamento final, que afirma: É por isso que também nos esforçamos, quer presentes, quer ausentes, para lhe sermos agradáveis. (Ou seja: Quer nesta vida ou na outra.) Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo. 2ª Coríntios 5:9,10.
Para vivermos com uma boa consciência é necessário fé. “Sem fé é impossível agradar a Deus. Hebreus 11:6.
É simples assim, ele mesmo provê o necessário para que Lhe agrademos. Guiomar Barba.

Leia Mais




terça-feira, 20 de novembro de 2007

NOSSA INTERPRETAÇÃO



Deleitar-se-á no temor do Senhor; não julgará segundo a vista dos Seus olhos, nem repreenderá segundo o ouvir dos Seus ouvidos. Isaias 11:3.

Nossas informações interiorizadas são a soma daquilo que vivenciamos no dia a dia, e como captamos; isso faz as nossas diferenças. Por mais que vivamos juntos, sejamos parentes em primeiro grau ou até casados, pensamos, vemos, ouvimos e interpretamos diferente,
Esse é um forte motivo para levar-nos a ponderar bem quanto às atitudes supostamente erradas cometidas por alguém ou quando soubermos que falaram algo contra nós, por mais que respeitemos, confiemos e amemos esse outrem que nos trouxe a informação.
Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; Mateus 7:12.
Muitas vezes eu traduzi palavras de algumas pessoas como afronta e meu filho mais novo me levou a refletir, reproduzindo a conversa, e quase todas as vezes ele tinha razão. Eu havia interpretado de acordo com o momento que eu estava vivendo o que poderia ocasionar estremecimento em alguns relacionamentos se não houvesse reflexão da minha parte.
Se ouvindo diretamente de alguém uma conversa podemos distorcer o sentido, avaliemos o quanto é possível interpretar mal ouvindo de segundos.
O ideal é sempre ouvirmos os dois lados da história para chegarmos a uma conclusão sensata quando é algo que nos afeta ou denigre alguém, e essencialmente ouvir da fonte que tenha procedido a conversa ou o suposto deslize.
Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também. Mateus 7:2.
Tenhamos misericórdia, jamais congelemos alguém no seu erro ou cortemos relacionamento sem oportunar diálogo. Guiomar Barba.

Leia Mais




domingo, 18 de novembro de 2007

NÃO ACUSEMOS




E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus. João 9:2,3.

Sempre temos a tendência de julgar as pessoas pelos seus sofrimentos.
Quantas vezes ouvimos: “Se está assim, está pagando, boa coisa não fez”. No entanto, Jesus, que conhece o mais íntimo dos nossos corações tem uma interpretação totalmente contrária à nossa.
Em determinada ocasião, Jesus respondeu a algumas pessoas que, pela forma como Ele contestou, comentavam tendenciosamente sobre uns galileus cujo sangue Pilatos misturara com os sacrifícios que os mesmos realizavam de formas a não deixar dúvidas no que se refere a julgarmos:
Pensais que esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus, por terem padecido todas essas coisas?
Não eram, Eu vo-lo afirmo: Se, porém, não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis.
Ou cuidais que aqueles dezoito sobre os quais desabou a torre de Siloé e os matou eram mais culpados que todos os outros habitantes de Jerusalém?
Não eram, Eu vo-lo afirmo; mas se não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis. Lucas 13:1-5.
Se Deus nos tratasse segundo os nossos méritos nem uma carne se salvaria, mas graças a Deus por Jesus que nos justificou através do Seu sacrifício expiatório, dando-nos o perdão pelos nossos delitos e pecados.
Sofremos sim conseqüência dos nossos erros em todos os âmbitos. Existem leis naturais, códigos de comportamento que, ao transgredirmos naturalmente, virá a retaliação, no entanto, isso diverge plenamente de castigo divino pelas nossas faltas, como julgamos que estão sendo punidos os afligidos por diversas adversidades. Mas é interessante que quando nos toca o sofrimento somos generosos com nós mesmos e nos justificamos, desfazendo toda possibilidade de sermos tidos como culpáveis no mínimo que seja.
Jesus foi categórico: Se não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis.
Com a medida que tiverdes medido vos medirão também, e ainda se vos acrescentará. Marcos 4:24.
Não multipliquemos o sofrimento de alguém impingindo-lhe culpa. Deus a todos julgará no seu devido tempo. Guiomar Barba.
Leia Mais




sexta-feira, 16 de novembro de 2007

POSSESSÃO MALIGNA




Ao desembarcar, logo veio dos sepulcros, ao seu encontro, um homem possesso de espírito imundo. O qual vivia nos sepulcros, e nem mesmo com cadeias alguém podia prendê-lo; Marcos 5:2,3.

Aqui temos um quadro gritante e pouco comum, ao meu parecer, de possessão. No entanto, não ignoramos que existem milhões e milhões de pessoas que vivem escravizadas por espíritos malignos. Umas possessas, outras atormentadas por vozes, pensamentos, ou possessões esporádicas.
Muitas famílias em desespero, sem saber qual a solução, levam para psiquiatras, psicólogos, etc., que, por não discernirem o mundo espiritual e não ser da sua competência, entorpecem essas pobres criaturas com drogas. Paliativo deprimente que não liberta a vítima nem tão pouco aos seus familiares de suas dores. E jamais poderão curar essas pobres almas que necessitam, de fato, é de libertação em Cristo, O único que pode mudar a história de um prisioneiro desses espíritos do reino das trevas.
Na nossa experiência com vidas, encontramos inúmeras pessoas vivendo uma vida, podemos dizer, miserável nas mãos de espíritos. Pessoas que aparentavam realmente um quadro de loucura mental, no entanto, podíamos discernir perfeitamente as artimanhas de espíritos. Vimos, portanto, muitas dessas pessoas também serem totalmente livres pelo poder de Deus.
Lembro-me de um quadro terrível de uma moça que ficava dominada, porém sua mente lúcida, além de sentir ódio de nós que estávamos com ela, também era forçada a fazer gestos e mover sensualmente seu corpo em quanto seu rosto era contorcido deformando-se, tornado-a, assim, asquerosa. Ela chorava na sua prisão sem forças para libertar-se.
Levamos aquela moça para um lugar à parte. Ali começamos a ministrar sobre ela libertação. Não foi fácil, aquele espírito não queria deixar em paz sua presa. No entanto, aquela moça realmente estava com sede de Deus e queria libertação. Hoje nos comunicamos com ela. Graças a Deus é uma pessoa totalmente livre, formada, trabalha secularmente, mas também recebe semanalmente um grupo de pessoas espiritualmente carentes na sua casa, onde com ajuda de outra pessoa ministra a palavra de Deus.
Ontem, ao ministrarmos a um grupo, tivemos uma dessas experiências, quando uma das participantes começou a contorcer-se e não podia sequer ouvir minha voz. Tal era o ódio daquele espírito que a estava dominando por mim. Ela percebendo o que estava ocorrendo chorava por sentir-se impotente diante da situação. Mas aleluias porque o poder de Deus é maior que toda força maligna do mundo e sempre vence. E ela foi liberta.
Interessante que nós estávamos exatamente ministrando sobre o poder do Sangue de Jesus para justificação do homem.
Poderíamos registrar aqui muitos outros casos. No entanto, nosso objetivo é comunicar que se alguém porventura está sofrendo ou conhecendo amigos nesse estado, não esqueça que O Cristo do passado é o mesmo ontem, hoje e será eternamente. Ele continua ordenando aos espíritos que saiam dos corpos das pessoas e eles têm que submeter-se, porque na cruz do calvário Ele os despojou, expondo-os ao ridículo. Jesus é a verdade que liberta. Guiomar Barba.
Leia Mais




quinta-feira, 15 de novembro de 2007

QUEM AMA JESUS


Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que Me ama será amado por Meu pai, e Eu também o amararei e Me manifestarei a ele. João 14:21.

A palavra de Jesus aqui é bem transparente para qualquer compreensão. Quando amamos alguém procuramos descobrir o que lhe agrada, e logo começamos atuar de tal maneira que contente a pessoa amada. Naturalmente a pessoa vai perceber que está sendo amada através das nossas atitudes para com ela, e vai tratar de retribuir o nosso amor. Veja que essa recíproca é denunciada pelo próprio Jesus.
Jesus, no entanto, vai mais longe, estreitando os laços do amor: Se alguém Me ama, guardará a Minha palavra; e Meu pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada.
Quando Ele fala em guardar, não seria pôr em uma caixinha eguardá-la em alguma gaveta. Mas colocá-la no coração, onde O Espírito Santo de Deus tem acesso e estará sempre lembrando-nos de praticá-la.
Depois de toda essa prova de amor, Jesus, muito feliz, diz: Eu vou morar em você e vamos juntos, Eu e o Pai porque somos um. Nessa convivência, vamos nos assemelhando a Ele porque o amor vai sendo aperfeiçoado em nós, e todos logo perceberão que vivemos nEle porque estaremos andando, dentro dos nossos limites humanos, como Ele andou. 1ª João 2:5,6.
Esta afirmação tem um exemplo irrefutável no apóstolo Pedro, quando tentou negar que andava com Jesus:
E ele negou outra vez, com juramento: Não conheço tal homem.
Logo depois, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: Verdadeiramente, és também um deles, porque o teu modo de falar o denuncia. Mateus 26:72,73.
Maravilhoso como nos tornamos parecidos com Ele. Mesmo querendo dissimular nossa comunhão com Ele seria impossível, porque já assimilamos
muito do Seu belo caráter, até mesmo o nosso linguajar se torna peculiar. O que também nos seria doloroso apartar-nos dEle.
A melhor coisa que eu já fiz em toda minha vida foi procurar conhecê-Lo, amá-Lo e vivenciar a Sua palavra. Andemos com Jesus e jamais deixaremos de amar e sermos amados. Guiomar Barba.


Leia Mais




terça-feira, 13 de novembro de 2007

UM BARCO CHAMADO IGREJA

Dois grandes temas nos têm sido apaixonantes: a Cruz e a Igreja. Sobre a Cruz muito se tem escrito. Obras de elevada erudição bíblica e teológica, de vivificantes sentimentos místicos, podem ser compulsadas por todos nós. Sobre a Igreja, porém, pouco se tem produzido além dos tratados de Eclesiologia, que se revestem mais de características quase técnicas denominacionais e dedicados a um público restrito: pastores e estudantes das escolas de Teologia.
Parece-nos que não nos afastaremos da linha comum, tal o enraizamento produzido pela nossa formação, alimentado pelas tradições da nossa denominação de origem. Entretanto, impomo-nos o compromisso de tentar fazê-lo, mas não com pensamento de distinguirmo-nos com afirmações diferentes. Queremos lançar-nos num esforço a mais para alcançar as linhas bíblicas delimitadoras desse sublimado tema - a Igreja de Cristo no contexto atual, onde a verdadeira Igreja Cristã parece estar sendo demolida, principalmente por quem deveria apascentá-la nas paragens indicadas pelo Seu Fundador e Edificador.
Somos dos que pensam que a Igreja antecede e transcende a História. Sua passagem pelo Tempo - este mundo - terminará com ela mergulhada na Eternidade. Sua glória já transita da vida comum, quando torna presente a realidade divina onde quer que esteja, onde quer que vá ter um de seus membros genuínos e fiéis. É nela, e através dela, que Deus se faz presente no mundo e abençoa toda a humanidade indistintamente. JESUS ESTAVA NO BARCO.Certa feita, Jesus fez com que seus discípulos tomassem seu barco e atravessassem o Mar da Galiléia (Mateus 8:23-27). Cansado, acomodou-se sobre uma almofada à popa e ali adormeceu. A tranqüilidade da viagem, em calma iniciada, foi repentinamente interrompida "ao levantar-se grande temporal de vento, e as ondas arremessavam contra o barco, de modo que o mesmo já estava a encher-se de água. E Jesus estava na popa, dormindo sobre um travesseiro. Eles O despertaram e Lhe disseram: - Não Te importa que pereçamos? E Ele, despertando, repreendeu o vento e disse ao mar: - Acalma-te, emudece! O vento se aquietou e fez-se grande bonança".A presença do Senhor ali naquele barco não impediu que o céu se escurecesse tornando a noite mais trevosa; nem que o vento viesse rugindo transformar a quietude das águas em ondas furiosas e bramantes, arremessando-se sobre o barco, ameaçando naufragá-lo. Parece que forças infernais se abatiam ali para surpreender o Messias num momento de sono repousante. Vê-lo afogar-se nas águas que Ele próprio criara, poderia ser uma alta vitória infernal.
O medo, contagiante e, às vezes, até alucinante, tomara conta dos discípulos e os fizera presas de temor da morte, tal a violência do temporal que desafiava a larga experiência daqueles pescadores crescidos sobre barcos dominando aquelas águas.
A invocação dos discípulos a Cristo se ergue. Em pé sobre o convés balançante, alteia a voz sonora e ordena ao vento que, em obediência, foge. As águas se aquietam e a paz que vem d'Ele encheu o coração dos até a pouco amedrontados navegantes, encheu o ambiente do barco, encheu todo o Mar da Galiléia.
Não! Ele não evitou a tempestade. Ele a fez fugir. Sem ela não haveria a manifestação do Seu poder e nem o fortalecimento da fé de seus discípulos. Ele não nos trouxe um evangelho recheado de promessas e bonança permanentes, mas o Evangelho desafiador da fé na força de Seu poder e no Poder da Sua Palavra. Nenhuma outra figura me pareceu mais adequada que a desse barco, cuja presença na História o Espírito Santo determinou fosse feita pelos três evangelistas dos Sinóticos.
Por certo, naquela noite não era apenas aquele barco que singrava as águas do Mar da Galiléia. Prováveis outros pescadores, dezenas, talvez centenas deles, barcos que por motivos vários navegavam também; mesmo de alguns membros da multidão que estivera a ouvir Jesus em terra. Todos os navegantes sofreram a mesma tempestade, passaram pelos mesmos temores, sofreram as mesmas angústias e viveram a mesma surpresa da repentina calmaria que lhes sobreveio.
Todos experimentavam aquela benção, mas só num barco se sabia donde e como ela proviera: naquele em que estava o Senhor e Deus, Jesus. Vemos então o símbolo da Igreja: um grupo de homens convertidos a Jesus, e Ele presente entre os que criam em Seu Evangelho.A Igreja, nascida na mente de Deus, foi eleita em Cristo antes da fundação do mundo, constituída daqueles que, segundo a presciência de Deus, foram predestinados para adoção de filhos, para virem a ser semelhantes a Jesus, a fim de que Se tornasse o "Primogênito entre muitos irmãos".
Logo, a Igreja tem sua origem na Eternidade, pré-existindo à fundação do mundo. Toda a história bíblica, desde a criação até os dias de hoje, é a História do trabalho de Deus para a realização de um povo com Sua imagem e semelhança. O pecado que penetrou a natureza humana mesmo no começo da raça, não mudou o propósito de Deus.
A presciência divina previra a queda e provera a cruz como meio de restauração do homem à comunhão original, a fim de fazer cumprir-se aqui no mundo, dentro do tempo, o Seu grande plano: Reunir os homens que, no exercício do livre arbítrio com que foram criados, cressem no Evangelho - a Palavra do Deus Eterno - trazida por Seu Filho para salvá-los de seus pecados e serem feitos Seus filhos. Ao ajuntamento de tais homens deu Jesus o nome de Igreja, que por sua origem, constituição e destino, por sua natureza espiritual e, apesar de existir no Tempo, reveste-se de sobre naturalidade. Isto porque a esses homens foi exigida a morte para, então, renascerem. Renascerem da "água e do Espírito", e serem feitos "novas criaturas" em quem "as coisas velhas passaram e tudo se fez novo".
Esses homens foram puxados por Jesus do seio do seu povo, da sua gente, para terem com Ele uma vida apartada das influências do seu século e serem treinados a viver como luz do mundo e como sal da terra. Isso significa astros luzindo, atraindo para si os envolvidos pelas trevas do mundo. Significa vidas preservadas em seus valores humanos e espirituais, sedimentando a sociedade sobre as verdades evangélicas, mesmo que ela não se torne cristã. Na sublime oração sacerdotal Jesus declarou: "Eu não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são Teus". Isso deixa entrever esta grande mensagem: A benção d'Ele é para a Igreja; a benção da Igreja é para o mundo. Ele abençoou os discípulos que estavam no barco no dia da tempestade acalmada. E a benção do barco passou para todo o Mar da Galiléia e adjacências. A Igreja está no mundo como receptora das bençãos de Deus e o veículo distribuidor delas ao mundo. Todavia, ressaltam aqui fatos de preponderante importância: No barco estavam somente os discípulos com Jesus.
ANDANDO SOBRE AS ÀGUAS.
Certa feita, os discípulos se fizeram ao mar sem Ele. Ao sofrerem o soprar contrário do vento, se preocuparam, mas Jesus foi até eles andando sobre as águas - Ele nunca navegou em barco que não o dos discípulos. Jesus nunca está nem é encontrado fora da Igreja. Alguns que julgam tê-Lo encontrado por si só, ignoraram a intercessão de alguém dentro da Igreja orando em seu favor.A obra missionária vem falhando no mundo. A ênfase de missões tem sido retirada da Igreja e, em alguns casos, esta tem abdicado de sua responsabilidade do "Ide" em favor de juntas e missões para-eclesiásticas. Isto ocorre sempre que Ele é solicitado a visitar o barco, nunca enquanto Ele vai, mesmo a dormir, a bordo.Cristo é "a imagem do Deus invisível", visto que como "expressão exata" Ele torna possível o conhecimento de Deus e Seus santos propósitos para a Igreja e o mundo. A Igreja tem o dever espiritual de revelar o verdadeiro Deus ao mundo. Para tanto foi provida do Espírito Santo, que não apenas revela Cristo Jesus como Salvador, mas também manifesta o Poder e a Glória da divindade. No dia da tempestade, no auge dela, Cristo ergueu-se com a palavra de ordem aos elementos em fúria: "Cala-te, aquieta-te". Pouco depois, aqueles homens recém-salvos do naufrágio, perguntam entre si: "Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e Lhe obedecem?".
Ora, ale estava o Verbo Divino, que Se encarnara para tornar visível o Deus invisível, que acabara de demonstrar Seu domínio soberano tanto sobre as forças do Universo, quanto sobre o coração humano quando este O invoca: "Clama a Mim, e responder-te-ei".
É esse Cristo e Sua Palavra que devem estar permanentemente sendo cridos e ouvidos na Igreja. Para tanto é necessário que os tripulantes do barco tenham n'Ele a sua fé de modo inabalável e guardem a Sua Palavra com fidelidade. "Se vós estiverdes em Mim, e as Minhas Palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito".
Ressaltam aqui duas verdades: A primeira, a necessidade de o homem estar em Cristo. Ora, se alguém está em Cristo, não pode estar ao mesmo tempo no mundo. Não se trata aqui de idéia de lugar, mas de um estado de vida. O crente deve estar identificado com Cristo de tal forma, que Ele seja tudo n'Ele. Acontecendo isso, não restará no crente espaço para o mundo e suas concupiscências, que o Apóstolo João classifica de "inimizade contra Deus".
O cristão é alguém tirado do mundo para viver "em novidade de vida", isto é, de modo que chame a atenção dos que estão no mundo pela diferença que apresenta em si, no que diz e no que faz. O verdadeiro cristão tem a fala como a de Jesus; e fala de tal forma que ela o "denuncia", como aconteceu a Pedro no dia da prisão do Senhor. Portanto, estar em Cristo é procurar viver como Ele viveu. É dever cristão buscar os parâmetros do Varão Perfeito para imitá-Lo. A segunda verdade, "as Minhas palavras em vós", representa a espontânea e completa rendição a tudo que Ele disse naqueles dias, disse depois pelo Espírito Santo, e pelo mesmo Espírito continua dizendo pela iluminação da nossa mente para o entendimento das Escrituras. Estas vão balizando a nossa estrada para o alvo da soberana vocação da fé. Levado por Barnabé para Antioquia, o até então obscuro apóstolo Paulo passou a ensinar à Igreja que ali nascera. Fez isso durante um ano inteiro, revelando o Cristo que conhecera tempos atrás às portas da cidade de Damasco. De tal forma os ensinou e de tal forma aprenderam, que os moradores de Antioquia passaram a chamá-los de cristãos, ou seja, cristos pequenos. E são estes que o Espírito Santo usa para levar ao mundo a mensagem salvadora.
DE GRAÇA RECEBESTES, DE GRAÇA DAI.
O barco dos discípulos - a Igreja - partira de um ponto levando Jesus para outro. Jesus e a Sua Palavra levados para outros sítios, para outros povos.
Até hoje se pergunta como puderam fazer isto durante todo o ministério terreno de Jesus? Como era sustentada a Igreja nascente que muitas vezes tirava de si mesma para distribuir às multidões? Jesus sempre os fez atender às gentes com pão para o corpo e pão para o espírito. A máxima "De graça recebestes, de graça dai", jamais deixou de ser prática real na vida da Igreja do Cristo presente. Uma vez em que alguns se atreveram a pedir a Jesus que despedisse a multidão para que fossem deles em busca de pão, Ele lhes foi peremptório: "Dai-lhes vós de comer". A necessidade da gente levou Jesus à realização de um dos Seus maiores milagres: A multiplicação de cinco pães e dois peixinhos para alimentar a multidão de cinco mil homens, fora as mulheres e as crianças. Nesta experiência particular, destaca-se o fato da multiplicação acontecer nas mãos dos discípulos, ocultando aos beneficiários qualquer visão espetacular do milagre. Talvez alguns se hajam impressionado por não terem podido comer todo o pão e peixe que lhes foram dados, e doze cestos de sobras foram depois recolhidos pelos apóstolos. Não era a solução dos problemas temporais que mais preocupava Jesus, e sim, a salvação de toda aquela multidão que logo depois seria por Ele censurada, quando atravessaram também o mar para procurá-Lo.
Disse-lhes Jesus: "Vós Me buscais porque comestes pão e vos fortalecestes...". Logo, não são os milagres o propósito do Senhor a ser realizado através da Igreja, mas a salvação e regeneração do homem, para o quê o Filho de Deus ofereceu-Se em holocausto.
Os milagres são prometidos como evidências seguindo os que crêem. Eles acontecem sem tempo marcado, sem correntes nem penitências, mas como manifestação da fé. A fé genuína não proclama nem dá preço ao ato divino.
Quando a chamada Igreja se transforma em terreiro de milagres, vendendo disfarçados fetiches e amuletos, e não menciona mais palavras como pecado, inferno, salvação e eternidade, é barco sem Cristo a navegar tranqüilo enquanto a tempestade não chega. A Igreja não é centro de invocação de demônios nem de humilhação dos oprimidos do Diabo, apresentados como "outdoor" de "marketing". A Igreja é o cenário da Cruz, onde o Cristo Cravado é apresentado aos "cansados e oprimidos" como o Senhor Ressurreto, vencedor de Satanás, do pecado e da morte. O Cristo que neste mundo não teve "covil" como as raposas, nem "ninho" como os "pássaros", e mandou a quem tivesse "duas túnicas" que oferecesse uma ao que nada tinha. O Cristo cuja teologia da prosperidade consistiu na força da fé para encontrar na boca de um peixe a ser pescado uma moeda para pagar tributo exigido por César. Um Cristo que não hesita em convidar seguidores assustados com a mensagem que d'Ele ouviam: "Quereis vós também, retirar-vos?". Somente aqueles que não são apenas seguidores e proclamadores de milagres, mas que se deixaram tomar pela grandeza da presença de Cristo e a glória de Sua Palavra podem responder como Pedro fez: "Para quem iremos nós, Senhor? Tu tens a palavra da vida eterna".
A Igreja não é a multiplicidade de ministérios pessoais, exaltadores de indivíduos, pseudo-pastores que por não suportarem a inclemência do sol ou da chuva, nem o frio da noite a apascentar o rebanho, conseguem lã e leite de ovelhas de outros pastoreios.
A Igreja não é o "shopping center" do Evangelho, onde por trás de cada balcão se vende a fé de mistura com sal, água, azeite, pano benzido, de mistura com literatura de edificação cristã.
A Igreja não é um palco à parte para propaganda da fé de palhaços e artistas convertidos, os quais, em sua maioria e com raras exceções, continuam a viver onde sempre viveram por não terem podido deixar o Egito, temendo a aridez do deserto que está além do Mar Vermelho.
A Igreja não é sociedade seletora de faixas sociais ou de agrupamentos profissionais realizando cultos distintos, nalguns dos quais o pobre não tem lugar por sentir-se pequeno ou miserável demais para ser chamado irmão em meio a tanto fausto. Nem o lugar onde os cheiros do barracão pobre e das roupas sem perfume causam mal-estar aos donos da prosperidade. Então o que é a Igreja?
A Igreja nasceu na mente e no coração de Deus. Seus integrantes, eleitos antes da fundação do mundo. Para torná-la existente Deus criou o Éden, onde um povo com Sua imagem e semelhança foi criado em Adão. Com a constituição e a natureza que lhe foram dados na criação, o homem deveria receber na plenitude do tempo o Verbo Divino que viria "nascido de mulher, nascido sob a Lei", para reunir em Si e em Si unificar o homem da fé, formando a Igreja.
A queda do homem não mudou o propósito de Deus. Trouxe a necessidade da Cruz, aceita pelo Cristo Divino, que viria em busca de Seus irmãos - aqueles que aceitariam a Sua mensagem e, arrependidos, creriam no Seu amor. Por isso Pedro diz que nem por ouro nem prata, nem coisa alguma corruptível que fomos comprados, mas pelo "precioso sangue de Jesus, como de um Cordeiro Imaculado", sangue esse "conhecido desde antes da fundação do mundo". Pela santificação mediante o sangue de Cristo, o homem que crê é salvo e posto em Cristo como "nova criatura", formando a Igreja, que é por isso o Corpo de Cristo.
Durante séculos Deus falou ao Seu povo "de muitas maneiras pelos profetas"; mas quando a preparação pela profecia se completou, enviou o próprio "Filho Unigênito" para assumir o Seu Corpo, que não foi apenas o gerado no ventre de Maria, mas todos os homens que haviam de crer, e, assim, dar forma à Igreja.
O Verbo Criador de tudo e de todos veio para ser aperfeiçoado, como revela a carta aos Hebreus; mas aperfeiçoado como? Não era Ele Deus?
Exatamente por isso - sendo Deus Onisciente, conhecia a natureza humana como Criador. A encarnação O trouxe não só para experimentar toda fraqueza humana e redimi-la, mas tornar-se homem para todo o sempre e como Primogênito do Pai se deixar cercar por muitos irmãos na eternidade. Isso é a Igreja.
A Igreja é aquele barco tripulado por homens que tudo deixaram e a si se deram, para remar mesmo contra o vento e as ondas empinadas, para levar de um porto ao outro o Cristo de Deus e a Sua Palavra. Quando em terra, seguem o Cristo de "cidade em cidade, de aldeia em aldeia". Sabem o quê fazendo? Indo, buscando por toda parte os "eleitos pelo Pai" desde a fundação do mundo. Eleitos n'Ele, Cristo. São Seus!
Todos, sem qualquer exceção, custaram o mesmo preço - a Cruz de Cristo. E todos são um só corpo n'Ele - este corpo chamado Igreja - que hoje no mundo é a Imagem do Deus Invisível, exatamente por ser o Corpo de Cristo. Um corpo sem espírito é morto; mas Ele, ao ser glorificado, deu à Igreja, ao Seu Corpo, o Espírito Santo de Deus que a ilumina, que a guia e lhe ensina toda Verdade, fazendo-a lembrar-se de tudo quanto Ele ensinou. E, diante do que Ele ensinou, não cabe no barco chamado Igreja nada que não nos leve ao Monte de Sião para o "Cântico de Moisés e do Cordeiro". Não cabem n'Ele o "Jesus Cristo, eu estou aqui", de cantores populares, nem os salmos de certos religiosos, nem a batida do "rock and roll" nascido no palácio do pecado em Londres. Neste barco chamado Igreja, onde está presente o Deus que "é um fogo consumidor e que faz dos seus ministros labaredas de fogo", só cabem homens e mulheres mortos e ressuscitados com Cristo, rompidos com o mundo e suas concupiscências e comprometidos com o Salvador na tarefa de pregar aos perdidos.
Esta é a verdadeira Teologia da Igreja. A verdadeira Teologia de Missões.
Em nome do Senhor Jesus Cristo. Amém!
Nota: Este sermão foi proferido, em março de 1999, pelo Pr. Renê Pereira Feitosa na conferência "A Igreja e Sua Missão Profética para o Século 21", em Belo Horizonte, MG.Postado pelo Pr. Gilberto Mynssen Ferreira em novembro de 2007.
Leia Mais




segunda-feira, 12 de novembro de 2007

CONTRASTES

Lá estávamos nós, em Lagarto-SE, felizes da vida, com minha mãe chegando aos oitenta e nove anos, alguns irmãos, cunhada, sobrinho, filhos, todos nós envolvidos em um evangelismo em massa, dirigido pelo meu irmão Jadiel Rocha, diretor do PROJETO JONAS. Estávamos lá em uma carreata animadíssima, puxada por motoqueiros, mobiletes, todos nós fazendo vibrar nossa bandeirinha com os dizeres: “Jesus, é dEle que você precisa”, em cima de trios e outros em transportes dos mais diversos. Todos dançávamos à medida do possível no mover dos nossos carros. Eu estava muito contente de poder proclamar com centenas e centenas de irmãos em Cristo a vitória do Calvário, enquanto os dirigentes convidavam as pessoas para um grande evento voltado para a família no estádio da cidade. Tudo perfeito, todos estávamos felizes com os resultados, quase seis mil pessoas lotaram o estádio. Música, cantores, teatro e sorteios abençoaram aquele evento. Emocionada, chorei muito quando vi centenas de pessoas acudirem ao convite de irem à frente com o propósito de assumirem um maior compromisso com Deus e empenharem-se na saúde emocional, espiritual e física de suas famílias. Enquanto os casais abraçavam-se, beijavam-se e comprometiam-se a fazer um maior esforço para promoverem a harmonia em seus lares, estendíamos as mãos sobre eles para abençoá-los. Foi um momento de muita emoção e esperança. No entanto, em meio a todo aquele resultado tão significante, meu coração doía enquanto gemidos enchiam minha alma me levando a suspirar profundamente. Por mais que me perguntasse o porquê, me era totalmente inconcebível que em meio a toda aquela festa espiritual eu estivesse sentindo aquela dor me enchendo o peito. Chegamos hoje, e há poucos minutos, ficamos sabendo a razão da nossa dor, enquanto estávamos ali, lá do outro lado do país morria um amigo, vítima de um atropelamento. Havíamos recebido dois e-mails particulares dele há poucos dias. Sua única filha é missionária em Cochabamba – Bolívia. Havíamos conversado com ela por MSN pouco antes de viajarmos. Dos dois filhos que deixou, um está em lua de mel; sua esposa também nos havia mandado um e-mail há menos de um mês nos relatando um sonho. Agora sabemos que foi um aviso. Ao relatar ela nos disse: Tive um sonho profético. No sonho, era ela quem havia morrido. Lembro-me do que disse Deus: Ambos serão uma só carne. São os contrastes dessa vida fugaz. Enquanto uns dançam, outros choram, mas os amigos estão em sintonia, mesmo em situações diversas. E Deus nos une em uma empatia confortante. Saudades! Graças a Deus pela ressurreição do último dia. Guiomar Barba.
Leia Mais




sexta-feira, 9 de novembro de 2007

FILHOS OU CRIATURAS?


Cornélio! Este, fixando nele os olhos e possuído de temor, perguntou: Que é Senhor? E o anjo lhe disse: As tuas orações e as tuas esmolas subiram para memória diante de Deus. Atos 10:4.

Na história de Cornélio temos um exemplo claro de que as boas obras apenas não nos dão o direito de sermos filhos de Deus, ainda que elas sejam feitas sem nenhum interesse, mas unicamente por amor.
O anjo ordenou a Cornélio que chamasse o apóstolo Pedro para que lhe expusesse claramente a respeito do caminho no qual devia seguir:
O centurião Cornélio, homem reto e temente a Deus e tendo bom testemunho de toda a nação judaica, foi instruído por um santo anjo para chamar-te a sua casa e ouvir as tuas palavras. Atos 10:23.
Todas as suas virtudes não eram suficientes para torná-lo um filho do reino, ele precisava de um encontro pessoal com Jesus para recebê-Lo como Salvador : Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no Seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.
E os nascidos de novo são conhecidos: Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Romanos 8:14.
Portanto, todos nós somos criaturas de Deus até o dia que somos lavados dos nossos pecados pelo Sangue de Jesus Cristo O Filho de Deus. Trazemos nas veias o sangue dos nossos progenitores e temos genes que nos identificam com os nossos pais. Assim também nós nos assemelhamos com o nosso Pai Celestial, exatamente através de um coração purificado do pecado pelo Sangue de Jesus. E recebemos então, o penhor, o Espírito Santo habitando em nós.
O próprio Espírito Santo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Romanos 8:16.
Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com Ele sofremos, também com ele somos glorificados. Romanos 8:17.
Por que tantos custam crer na Bíblia quando com tanta facilidade crêem em tantos outros livros, em descobertas científicas por mais absurdas que sejam, como a teoria do big-bang, se jamais poderão explicar a origem do “átomo primordial” que explodiu e formou o universo. Teoria ridícula demais para quem observa mesmo simplesmente, sem nenhuma curiosidade a natureza. Totalmente ignorante, ataco um argumento forte da ciência. Mas, então me digam quem criou o átomo que fez semelhante universo.
Concluímos, se os incrédulos estudassem realmente a bíblia e conhecessem O Deus que a inspirou chegariam a mais concreta certeza de que ela é plenamente verdadeira. Meu desejo é que todos cheguemos ao pleno conhecimento da verdade de Deus. Guiomar Barba.

Leia Mais




quarta-feira, 7 de novembro de 2007

NÃO SE FAZ AMOR



O SEXO É UMA DAS EXPRESSÕES MAIS BELAS DO AMOR.
Não podemos confundir fazer sexo com amar. Amor não se faz, amor é o maior dom de Deus para nós e de nós para o próximo.
Podemos fazer sexo com amor, o que é excelentemente melhor que fazê-lo por necessidade, oportunidade ou qualquer outra circunstância.
Deus nos deu esta benção para nosso deleite.
O experiente Davi, pai do sábio Salomão, o aconselha a ser fiel à sua amada e desfrutar com ela dos prazeres conjugais: Corça de amores e gazela graciosa. Saciem-te os seus seios em todo o tempo: e embriaga-te sempre com as suas carícias. Provérbios 5:19.
É gritante, no entanto, a forma irresponsável que se tem incentivado as pessoas e especialmente aos nossos adolescentes a “fazerem amor”. Aqui transcrevemos o repúdio que recebemos de um amigo, através de um e-mail extraído do “Frente da Família”, no Estado do Espírito Santo:
É de suma importância que olhemos com muita seriedade para os graves problemas que nos afligem como conseqüência da promiscuidade sexual defendida e apregoada por alguns, e divulgada com estardalhaço por uma minoria escandalosa e barulhenta.Como um dos exemplos de problemas dos mais graves que enfrentamos, podemos citar o crescimento assustador da AIDS, e outras doenças sexualmente transmissíveis que estão assolando e vitimando milhares de vidas em nosso país, principalmente vidas de jovens e adolescentes. É fato inquestionável que as doenças sexualmente transmissíveis são conseqüência direta de uma frouxidão moral, e da promiscuidade sexual crescente principalmente entre os jovens e adolescentes que são mal orientados e mal informados. E o pior é que a nossa juventude está sendo incentivada e influenciada a viver uma vida de sensualidade doentia e uma vida de promiscuidade sexual sem limites. Diante da necessidade de combatermos a AIDS (esta epidemia que já é uma pandemia), as propagandas governamentais (de forma irresponsável e tímida) limitam-se ao incentivo à prática sexual com certas precauções de ordem mecânica (usar camisinha e diminuir o número de parceiros sexuais), quando na verdade sabe-se que o cerne de toda a questão está na promiscuidade sexual.

Esta não é a visão de um único grupo, mas a agonia de inúmeros pais que querem a saúde moral, física e psicológica dos seus filhos e da sociedade.
“Fazer amor”, “ficar”, tem sido sinônimo de usar alguém e ser usado, tornando-se assim o prazer apenas fisiológico unido ao delírio inconseqüente da alma, trazendo conseqüências desastrosas, como estamos observando no dia a dia, e com isso se perde o verdadeiro sentido e prazer das relações íntimas e até mesmo o respeito por elas.

O sexo é uma das expressões mais belas do amor, não destruamos tanta beleza bestialmente. Guiomar Barba.
Leia Mais




domingo, 4 de novembro de 2007

ADULTÉRIO FEMININO





Jesus perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, lhe disse Jesus: Nem Eu tampouco te condeno; vai e não peques mais. João 8:10,11.


O homem sempre foi “livre” para adulterar, trair, ser perdoado e reincidir, chegando ao absurdo de pensar que ter relações com muitas mulheres é ser muito macho.
O cúmulo do absurdo desta aberração conheci na bela cidade de Santa Cruz de La Siera, Bolívia, onde instituíram “Viernes de Soltero” (sexta feira de solteiros), quando todos os homens que aderiram a essa prática saem livremente de suas casas, deixam suas famílias, esposa e filhos e parte para uma noitada ao seu bel prazer, enquanto muitas esposas ficam lamentando sua má sorte.

Em um sistema machista e extremamente injusto como temos vivido, a mulher, ao cair em adultério, sempre foi objeto de julgamento sem misericórdia, sem tolerância. Raramente os maridos traídos decidem perdoar e continuar amando-a e respeitando-a, mesmo quando verdadeiramente arrepende-se de sua transgressão, e muito menos a sociedade, que lhe imputa adjetivos degradantes e a congela no seu erro.

Jesus, o grande profeta, filho de Deus, de vida ilibada, quando levaram a Ele uma mulher flagrada em adultério todos aqueles homens ávidos por assassiná-la, Jesus, que é pura compaixão, em um gesto de amor e justiça olhando dentro de cada um deles disse: Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro a atirar pedra. Ao que eles não puderam esconder nem de si mesmo suas próprias hipocrisias e, envergonhados, cabeças baixas foram retirando-se um a um.
Deus realmente não faz acepção de pessoas, Ele julga cada um de nós com a mesma medida e nos ensina agir da mesma forma.
Nem toda traição é decorrente de um caráter depravado. Existem muitas traições conseqüentes de um relacionamento desajustado ou de um deslize em um momento de fraqueza quando qualquer pessoa pode ser vulnerável a ele. Portanto, o perdão deve ser liberado da mesma forma que queremos que nos seja dado.
No entanto, decidamos não ferir tão profundamente a quem amamos com uma traição. Sabemos que as marcas são quase indeléveis, mesmo quando há um perdão genuíno. Guiomar Barba.
Leia Mais




sexta-feira, 2 de novembro de 2007

A RESSURREIÇÃO DOS MORTOS




Disse-lhe Jesus: Eu Sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; João 11:25.

Uma grande maioria de pessoas não tem a menor noção do que as aguarda após a morte. Com certeza muitas apenas desejam irem para um bom lugar e outras crêem que depois da morte não existe outra vida, tudo termina.
Que sentido teria vir ao mundo então se só houvesse esta vida? Imaginemos uma criança que passa nove meses no ventre da mãe e ao nascer ou mesmo antes se lhe vai à vida? Para que veio e qual seria o objetivo da criação?
Quando Jesus promete vida mesmo depois da morte, Ele está falando da ressurreição final:
Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão: Os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo. João 5:28,29.
Para quem não crer na vida eterna, no céu, é uma utopia paranóica, um verdadeiro fanatismo, no entanto o propósito de Deus desde a criação foi habitar com os Seus filhos. Sabemos que na viração do dia Ele ia ao jardim do Edem bater um papinho com seus primeiros filhos Adão e Eva. Gêneses 3:8.
Quando Jesus veio ao mundo ao voltar para o Pai Ele prometeu: Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, Eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar.
E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também. João 14:1,2,3.
Portanto, a morte é apenas uma passagem, é o fim deste corpo mortal, que não passa de uma casa a ande habita nosso espírito. Receberemos na ressurreição um corpo imortal como o dos anjos e seremos totalmente restaurados à imagem e semelhança de Deus como fomos criados; e ai sim, viveremos para sempre com Ele. Este é o prazer do pai amoroso, responsável, morar com a sua família.
E nós que recebemos a Jesus como Salvador e Senhor das nossas vidas somos a grande família de Deus, herdaremos, portanto o Seu Reino que está preparado para nós desde a fundação dos séculos. Realmente é muito grandioso, parece mesmo utopia. Mas graças a Deus que não é por méritos, mas pelo precioso sangue de Jesus vertido na cruz do calvário para apagar os nossos pecados.
Graças a Deus porque é nesta esperança gloriosa que eu me alegro aguardando rever meu pai, avós, irmãos, tios e amigos que já estão muito além desta vida fugaz gozando as delícias de uma vida incomparavelmente melhor. Guiomar Barba.
Leia Mais




quinta-feira, 1 de novembro de 2007

HOMOSSSEXUALISMO





Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário a natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contacto natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro. Romanos 1:26,27.

Diriam: Você tem preconceito. Eu responderia: No dicionário Larousse a palavra citada significa opinião adotada sem exame num conhecimento prévio; prejuízo. Não seria, portanto, nosso caso, porque temos sim um conceito formado, embasado solidamente naquilo que cremos não com uma fé irracional, mas com um conhecimento maduro e lógico do projeto de Deus ao formar o homem:
Criou Deus, pois, o homem à Sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a... Gêneses 1:27, 28.
É interessante também observar que Deus ponderou: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja adequada. Gênesis 2:18.
Em nenhum momento Deus cogitou na possibilidade de haver um acasalamento entre sexos iguais. Ele determinou a união dos sexos opostos e os capacitou a gerar sua prole, formando núcleo familiar para o deleite e aconchego das criaturas; mas repeliu radicalmente a união entre sexos iguais:

Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação.
Levítico 18:22.

No entanto, o propósito de Deus não respalda nenhuma discriminação, intolerância, falta de respeito com aqueles que, transgredindo o desígnio de Deus, optaram por uma relação homossexual. Seria uma negação dos princípios de amor, misericórdia, longanimidade, que nos ensina vivenciar o próprio Deus.
Deus ama sem acepções, Ele simplesmente ama, não porque tenhamos algum mérito, mas porque Ele é amor e escolheu amar o mundo de tal maneira que deu O Seu próprio filho para morrer por cada um de nós individual e indistintamente, e espera que todos nós nos arrependamos dos nossos diferentes ou iguais pecados, confessemos e deixemos para que possamos alcançar misericórdia.
Amemos, pois, homossexuais, adúlteros, invejosos, ciumentos, mentirosos, ufa... uma lista interminável de pecadores, mas nunca sejamos coniventes com qualquer tipo de pecado por covardia, omissão, ou outro qualquer motivo. Jesus veio libertar o cativo e o pecado nos escraviza e nos separa do nosso criador, que é Santo e não pode conviver com a iniqüidade.
Guiomar Barba.
Leia Mais




terça-feira, 30 de outubro de 2007

SOGRAS



E disse o homem; Esta afinal é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se-á varoa, porquanto do varão foi tomada.
Por isso, deixa o homem pai e mãe e se ume à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Gêneses 2:23,24.

Infelizmente existem muitas mães que não querem entender que seus filhos não estarão para sempre sob seu teto e submissão. Que eles se tornarão adultos, portanto, senhores das suas vidas, com direito a escolher uma profissão segundo seus interesses, esposa conforme seus padrões de valores, em fim, determinarem seu próprio caminho e que elas poderiam apenas, se forem sábias, orientarem seus filhos nas suas escolhas.
Veja a opinião cristã do Rômulo Feitosa, nosso amigo: “Precisa ser levado em consideração que os pais são autoridade sobre a vida dos filhos, então o que os pais falam sobre as escolhas dos filhos precisa, com muita seriedade, ser levado em consideração”.
No entanto, isso não dá a ninguém o direito de manipulação sobre a vida dos seus filhos. Existem sogras que querem manobrar, ter o controle sobre eles de tal maneira que tornam suas vidas sem paz, infeliz, impossível. Por este motivo, Sogra tem sido sempre sinônimo de chacota, de terror, uma palavra “pejorativa”; e uma grande maioria delas tem contribuído para que esta visão de sogra não mude, pelo contrário, se torne cada vez mais real.
Mais uma vez o Rômulo, paulista, casado, pai de dois filhos, comenta:
“Aquelas que não querem abrir mão dos filhos sofrem de um mal chamado “PECADO’, manifestado em forma de superproteção, mas que no fundo é egoísmo puro, pois vão contra o propósito de Deus, na criação do homem, de que sua vontade é que o homem não viva só, mas que cada um tenha a sua família nuclear, ou seja, pai, mãe e filhos.”
Essas mães precisam de Jesus Cristo... Conhecer o poder redentor de Sua palavra e experimentar do Seu senhorio.
Concordo plenamente com o Rômulo, temos que lutar contra as doenças do nosso ego e provar que amamos com as nossas atitudes apoiando e deixando livres os nossos filhos, confiando no Senhor, porque só Ele sabe o que é melhor para eles.
Nem sempre nossas intuições são verdadeiras e soluções, nem nossas experiências são respostas para outros, mesmo que esses outros sejam as nossas crias. Eles saíram de nós, mas têm vida própria, não podemos esquecer-nos disto. Sejamos, portanto, sogras sensatas, sábias e ajudemos nossos filhos a serem felizes. Guiomar Barba.
Leia Mais




quinta-feira, 25 de outubro de 2007

O AMOR SE ACORDA SÓ


Conjuro-vos, ó filhas de Jerusalém, pelas gazelas e cervas do campo, que não acordeis, nem desperteis o amor, até que este o queira. Cântico 3:5.

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem às fontes da vida. Provérbios 4:23.

Tem muita gente neste mundo sofrendo humilhações, solidão, difamações, repúdio, e tantas outras dores, exatamente por não haver guardado o coração, antes despertou nele o amor ainda adormecido.
Acordou-o e apresentou-lhe alguém, o iludindo, fazendo-o crer que chegara a hora, que o amor da sua vida havia surgido; o coração exposto foi vulnerável a essa ilusão.
Então os dois fazendo parceria entregaram - se a essa fantasia sem reservas, imprudentemente, e aí quando a mente descobriu o engano, tentou levar o coração ao raciocínio a perceber que foi tudo ilusório, mas o coração não aceitou, ele foi envolvido, ludibriado e ficou cego à realidade. E agora a dor, o gemido, a luta para despertar na pessoa amada o mesmo sentimento, mas sem lograr êxito.
Chegou então à hora da verdade, de provar para si mesmo a autenticidade do seu amor: Quem ama renuncia, deixa ir livre, deseja o bem, a felicidade, mesmo que seja com outro alguém, finalmente ninguém deve ser forçado a conviver com outro porque é amado. O amor tem que ser recíproco.
É bastante pensar se aceitaríamos viver com quem não amamos e vejamos que todo nosso ser repele tal idéia.
Mas é nessa hora que muitos se entregam a amargura, revolta, baixa auto-estima evidenciando assim apenas uma paixão que é o avesso do amor.
Não amar alguém não é uma questão de preferências físicas, intelectual ou de caráter. Amar é um mistério. A gente pensa em alguém com um estilo, uma escala de valores, mas quando o amor invade o coração, nós simplesmente amamos, as diferenças apenas nos aproximam, nos encantam, porque o amor verdadeiramente nasceu, chegou da forma certa, sem exigências, mas com uma mútua alegria ao doar-se e consequentemente ninguém sai perdendo.
Guarde o coração, não desperte o amor, deixe que ele acorde e assome no seu coração e ele mesmo vai lhe ensinar a forma certa de doá-lo e mesmo em meio a possíveis sofrimentos peculiares a vida a dois, você vai ser feliz.
Guiomar Barba.
Leia Mais




quarta-feira, 24 de outubro de 2007

DEUS NÃO NOS ESQUECEU



Por que não me matou Deus no ventre materno? Por que minha mãe não foi minha sepultura? Ou não permaneceu grávida perpetuamente?
Jeremias 20:17.

Estou cansado de clamar, secou-se-me a garganta; os meus olhos desfalecem de tanto esperar por Deus. Salmo de Davi, 69:3.

Quantas pessoas pensam às vezes que Deus não as ama ou que as esqueceu, e outras até que Ele as está castigando; e ficam amargurando-se em seus pensamentos e chegam até ao ponto de afastarem-se terminantemente de Deus.
Simplesmente porque ignoram o relacionamento entre Deus e os profetas, reis, sacerdotes, e outros homens que andavam com Ele e O serviam inteiramente, para quem também devemos olhar já que a bíblia é a nossa regra de fé e prática.
Podemos encontrar nas Escrituras a exemplo dos já citados, muitas outros desses homens lamentando o silêncio prolongado de Deus quando mais O necessitavam, exatamente em suas crises existenciais tanto no mundo espiritual, como emocional e até mesmo financeiro, exemplificamos com o salmista Asafe: Quanto a mim, porém, quase me resvalaram os pés; pouco faltou para que se desviassem os meus passos. Pois eu invejava os arrogantes, ao ver a prosperidade dos perversos. Salmo 73: 2,3.
Todas as figuras bíblicas que se destacaram como modelo, ficaram para nós como testemunhas vivas de humanidade, debilidade, insegurança, o que não lhes impedia de gozar um relacionamento íntimo com Deus; portanto nós também podemos vivenciar os períodos em que nos sintamos como esquecidos por Ele, entrarmos nas mesmas crises que os nossos modelos de fé e vida com Deus entraram, sem que estejamos com isso ferindo o coração do Pai. Não somos divinos.
O que não podemos deixar de entender é que Ele é soberano e que o Seu silêncio pode ser ensinamento, treinamento, advertência, mas nunca desamparo, negligência ou outra qualquer insensatez que possa ser evidenciada por nós seres humanos. Ele é Deus, perfeito em todos os Seus caminhos. Guiomar Barba.
Leia Mais




sábado, 20 de outubro de 2007

“A MULHER SÁBIA”



Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes refreie a língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente; aparte-se do mal, pratique o que é bom, busque a paz e empenhe-se por alcançá-la. 1º Pedro 3:10,11.
Ou seja, quem quiser dizer: Eu amo minha vida, eu sou feliz!
Quantas vezes uma mulher perturba a sua casa por causa de um ciúme infundado, por causa do dinheiro curto, por uma toalha molhada em cima da cama, um espelho sujo de creme dental, uma roupa jogada na sala, um atraso do marido, e tantas outras mesquinharias que não significam nada diante de uma vida de paz, harmonia, carinho, filhos felizes, seguros, prósperos na escola, em fim o fruto do amor verdadeiramente vivenciado.
Busque a paz e empenhe-se, significa ter ardor nessa peleja pela paz.
Temos que avaliar o que é mais importante então, nossos filhos, o marido, nós mesmas, ou as coisas? Se priorizarmos nossos relacionamentos, não tenhamos dúvidas, que as outras coisas tomarão seu rumo certo; e se algumas não tomarem com certeza as virtudes dos nossos queridos cobrirão as desmandas.
Lembremos: A mulher sábia edifica a sua casa. A propósito vamos transcrever aqui uma poesia que um dos nossos amigos virtuais nos mandou e vejam como ele analisa maravilhosamente a mulher:

A Alma da Mulher

Nada mais contraditório do que “Ser mulher”
Mulher que pensa com o coração, age pela emoção e vence pelo amor.
Que vive milhões de emoções num só dia e transmite cada um delas num único olhar.
Que cobra de si a perfeição e vive arrumando desculpas para os erros daqueles a quem ama.
Que hospeda no ventre outras almas dá a luz e depois fica cega, diante da beleza dos filhos que gerou.
Que dá asas ensina a voar, mas não quer ver partir os pássaros, mesmo sabendo que eles não lhe pertencem.
Que se enfeitam toda perfuma o leito, ainda que seu amor nem perceba mais tais detalhes.
Que como uma feiticeira transforma em luz e sorrisos as dores que sente na alma, só para ninguém notar.
E ainda tem que ser forte, dar um ombro para quem nele precise chorar.
Feliz do homem.

Façamos nossos maridos e filhos felizes e seremos compensadas com uma felicidade plena que nos fará Amar a Vida e Ver dias Felizes. Guiomar Barba.

Leia Mais




sexta-feira, 19 de outubro de 2007


Todavia, o meu justo viverá pela fé: e: Se retroceder, nele não se compraz a minha alma. Hebreus 10:38.
Muitas pessoas impensadamente dizem: Eu tenho muita fé. No entanto Jesus afirma que se tivermos fé como um grão de mostarda, diremos a uma amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar, e ela nos obedecerá. Lucas 17:6.
O que nos chama a atenção é que a semente da mostarda é o menor grão sobre a terra; mas, uma vez semeada, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças e deita grandes ramos, a ponto de as aves do céu poderem aninhar-se à sua sombra. Marcos 4:31,32.
Quando a fé é implantada dentro do nosso coração e começa a desenvolver, então os frutos aparecem, ou seja, as ações. Agimos com a certeza de que o que esperamos irá acontecer, louvamos e agradecemos como se já estivéssemos desfrutando da resposta das nossas orações. E muitos se aninham- em nós ao serem fortalecidos através da nossa fé. Por quê:
Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. Hebreus 11:1.
É diferente de crer, cremos que Deus pode fazer tudo e pedimos a Ele muitas coisas e esperamos que Ele nos atenda. No entanto a fé canta a vitória.
Percebemos, no entanto, que a nossa fé deve ser exercitada, dirigida para todas as áreas da nossa vida. Porque muitas vezes temos fé para determinadas coisas e para outras não. Mas sem desespero, vamos trabalhando a nossa fé, lendo a palavra, confessando a nossa falta de fé como o pai do menino possesso:
E imediatamente o pai do menino exclamou com lágrimas: Eu creio! Ajuda-me na minha falta de fé! Marcos 9:24.
Notou a diferença? Creio e falta de fé. O crer somente não foi suficiente e ele teve essa consciência, mas não se deixou abater ele foi à fonte e não foi decepcionado.

A nossa fonte de fé é Jesus, bebamos dEle! Guiomar Barba.
Leia Mais




Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML