Translate

segunda-feira, 17 de março de 2008

LANÇANDO A REDE





“Respondeu-lhe Simão: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas sob a Tua palavra lançarei as redes.” Lucas 5:5.

Se aqueles pescadores experientes houvessem se estribado no próprio conhecimento de pesca, não teriam atendido a ordem de Jesus, que jamais fora pescador. Teriam procurado fazer Jesus entender que eles conheciam do assunto, mas Simão limitou-se a dizer: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas sob a Tua palavra lançarei as redes.

Aqueles homens dependiam da pesca para sua sobrevivência, Jesus se aproximando pergunta: Filhos tendes aí alguma coisa de comer? Responderam-Lhe: Não.
Talvez a preocupação já lhes dominasse a alma, e a escassez de peixe tivesse frustrado a esperança do sustento. Uma noite de batalha inútil minara-lhes as forças, no entanto, aquela madrugada era o anúncio de uma alegria que romperia com a escuridão de longas e fatigantes horas.

Ali estava o Senhor da pesca, enchendo o barco deles de cento e cinqüenta e três grandes peixes. Cumprira-se ali a palavra: Por isso, vos digo: Não andeis ansiosos pela vossa vida; quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes?
Observai as aves do céu; não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? Mateus 6:25,26.

Quando andamos com Jesus, a nossa impotência diante das realidades que nos fogem ao controle terminam com a Sua atuação em nosso favor.
Jamais duvidamos de Jeová Gire, O Deus que provê (em hebraico). Em meio a tantas provas do suprimento divino, relato uma que marcou profundamente nossas vidas.

Morávamos em Bolívia, tínhamos uma dívida de dois mil dólares adquirida pelo meu marido quando, ainda solteiro e envolveu-se com drogas. Já havíamos liquidado uma parcela de mil dólares. Não sabíamos, no entanto, como saldar a outra parcela. Era impossível ao nosso entendimento, no entanto, a credora estava ameaçando pôr meu marido na justiça, o que ele procurou ocultar de mim, pensando em poupar-me, embora eu soubesse da dívida.
Mas nosso Deus estava com os olhos atentos sobre nós e em uma manhã me falou ao coração claramente para que eu jejuasse. Ainda que sem saber qual o propósito, obedeci. Orei naquela manhã por várias pessoas e entre nossas preces pedimos a Deus solução para aquele impasse.
À noite recebi um telefonema do meu marido me comunicando que ia passar na casa de um amigo nosso para recorrer uma correspondência para mim.
Quando ele chegou, abri o envelope. Deparamos-nos com um cheque de mil cento e cinqüenta dólares, provenientes do Brasil, postado por uma missão desconhecida para nós. Foi exatamente na época em que o presidente Collor havia esvaziado as poupanças do povo brasileiro, o Brasil estava em estado de choque. Quem poderia ter mandado tão alta quantia e com que objetivo?
Falei com meu marido: Vamos aguardar saber para que fim nos enviaram tanto dinheiro. Apesar de na época ser missionária de uma missão e não ter fonte de renda, e ter ido à Bolívia com o propósito de iniciar um centro de recuperação para drogados que já estava em perfeito funcionamento, nunca havia recebido grandes quantias.
Foi quando meu marido me comunicou: Amanhã tenho que pagar mil dólares a minha irmã, ela me emprestou para eu pagar à credora, e ela precisa desse dinheiro amanhã. Fui de imediato à casa de câmbio e eu mesma fiz questão de pagar à minha cunhada, para contar-lhe sobre a fidelidade do Senhor para conosco. Ela, uma pessoa extremamente generosa, agradeceu entre lágrimas a benção do Senhor.
Dois anos depois, de volta ao Brasil, descobri que uma grande amiga minha, uma baiana, havia ganhado de um médico que clinicava onde ela trabalhava uma rifa de um carro. Foi sorteada, e como não sabia dirigir, resolveu vender o carro para ajudar alguns amigos que estavam sufocados financeiramente. Neste empenho, ela ouviu Deus falando ao coração dela claramente: Manda mil dólares para Guiomar. Sem saber como proceder recorreu a um irmão meu que já estava com cento e cinqüenta dólares para nos remeter, e ele então enviou através de uma missão.
Jamais poderemos esquecer que o mesmo Jesus dos cento e cinqüenta e três grandes peixes continua sendo nosso provedor em momentos de crises. É O amigo das horas incertas para todos aqueles que o queiram.
A Deus, toda honra e toda glória! Pra. Guiomar Barba.

Nenhum comentário:

Postagens populares

Pesquisa personalizada