sábado, 15 de março de 2008

PERDOADOS PARA PERDOAR



Jonas se dispôs, mas para fugir da presença do Senhor, para Társis; e, tendo descido a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem e embarcou nele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do Senhor.”

Deus estava disposto a salvar a grande cidade de Nínive; apesar de toda corrupção que a permeava, Deus amava aquela gente incondicionalmente e convocou o profeta Jonas para proclamar que ela seria subvertida, mas o povo se arrependeu desde o menor até o maior e Deus poupou a cidade.

É alentador saber o quanto Deus é capaz de esperar por nós e amar, embora estejamos totalmente distraídos com os prazeres que traz o pecado.
Jonas irritou-se ao ver de antemão a misericórdia de Deus sobre aquela gente contrita.
Ele tentou fugir da responsabilidade de levar àquela gente a mensagem que Deus o havia imputado a proclamar, mas Deus buscou o meio de fazê-lo ir. Jonas 1.

É importante sabermos que por mais que tenhamos nos desviado dos propósitos do Senhor e tenhamos nos emaranhado com os pecados mais negros, o amor de Deus é mais abundante que os nossos delitos e o Seu perdão pleno e absoluto.

“O Senhor espera para ter misericórdia de vós, e se detém para se compadecer de vós, porque O Senhor é Deus de justiça; bem-aventurados todos os que nele esperam.” Isaias 30:18.

Muitas vezes algumas pessoas perguntam: Como vamos saber o que é certo e o que é errado? Deus não nos deixa a deriva:
“Quando te desviares para a direita e quando te desviares para a esquerda, os teus ouvidos ouvirão atrás de ti uma palavra, dizendo: Este é o caminho, andai por ele.” Isaias 30:21.

Nossos ouvidos devem estar sempre aguçados e o nosso espírito em alerta para ouvir a voz suave e doce do Espírito Santo de Deus. É Ele que nos convence do pecado, da justiça e do juízo.

Jonas resistiu o ter que pregar a um povo que ele sabia que ia arrepender-se e que seria perdoado. No entanto, Deus, na Sua infinita misericórdia, alegrou-se em deslembrar todo o pecado daquela cidade e oferecer-lhe absolvição.

O homem tem a tendência de não esquecer, não perdoar, embora necessite sempre do indulto de Deus ou de outrem, porque a sua natureza pende para a injustiça.

“Vinde, pois, e arrazoemos, diz O Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã.” Isaias 1:18.

Quando, pois, a nossa natureza caída é profundamente restaurada, somos capacitados a liberar perdão às pessoas, mesmo quando tiveram as atitudes mais vis contra nós, quando arrependidas, buscam de nós indulto.

“Onde abundou o pecado, superabundou a graça.” Romanos 5:20

Tenhamos amor suficiente para perdoar assim como fomos abundantemente perdoados por aquEle que nunca pecou e a ninguém jamais feriu. E nunca esqueçamos que Deus está sempre pronto a nos perdoar. Não necessitamos viver sob um julgo de culpa. Pra. Guiomar Barba.



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

Nenhum comentário:

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML