domingo, 6 de abril de 2008

SOB GUARDA CONTRA DEMÔNIOS

“Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?” 1ª Coríntios 6:19.
Se andamos no Espírito, temos a consciência de que: “todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; mas o que de Deus é gerado, conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca. 1ª João 5:18.

Claro que esta palavra é dirigida àqueles que aceitaram a purificação dos seus pecados através da confissão, sendo não somente reconciliados com Deus através da morte vicária de Jesus, como também assumido o senhorio de Cristo, tornando-se, portanto, tabernáculo do Espírito Santo, ficando assim sob a proteção absoluta de Deus: “Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a mão.” Salmo 139

Portanto não tememos maldições, feitiçarias, bruxarias, mal olhado, agouros, invejas, pragas, peste que se propaga nas trevas, nem mortandade que assola ao meio dia, ou qualquer malignidade, porque estamos sob a poderosa proteção do Altíssimo.

Entendamos que não seria uma bíblia aberta no salmo noventa e um, uma cruz, uma figa pendurada no pescoço, ou qualquer amuleto que nos protegeria das maldades deste mundo tenebroso, mas somente o “esconderijo do Altíssimo”.

“A maldição sem causa, não se cumpre” (Provérbios 26:2). No entanto, se estamos em desobediência aos mandamentos sagrados, estamos expostos não só a elas, mas a qualquer malignidade dos principados e potestades das trevas. “Sabemos que punições são aplicadas somente a quem as viola.”

Quando Deus estava conduzindo Israel para a terra prometida, conscientizou-os de que a escolha deles em vivenciar ou não as determinações anunciadas por Moisés a eles definiria sob que condições viveriam.
Eis que, hoje, Eu ponho diante de vós a benção e a maldição:
A benção, quando cumprirdes os mandamentos do Senhor, vosso Deus, que hoje vos ordeno; a maldição, se não cumprirdes os mandamentos do Senhor, vosso Deus, mas vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes. Deuteronômio 11:26-28.

A maldição não partiria do Senhor, mas seria questão de causa e efeito.
Se eu saio da proteção do Altíssimo por negligenciar os mandamentos, consequentemente vou sofrer como a ovelhinha que deixou o aprisco com toda sua fragilidade e saiu a vaguear, colhendo para si feridas e dores.

Nossa responsabilidade se torna gigantesca quando temos uma criaturazinha que se desenvolve em nossa madre, no dever de nos cuidar física e emocionalmente, não só para nosso bem, mas para que ela venha à luz saudável física, espiritual e emocionalmente.
Como pais, após trazê-la ao mundo, nos é também atribuído o papel de incutir nela a escolha de uma escala de valores que vai orientá-la pelos caminhos sinuosos desta vida e protegê-la como escudo do mundo espiritual da maldade.
Para sermos salvaguardas, é necessário que estejamos preservados pela obediência ao senhorio de Cristo e termos discernimento quando algum espírito maligno está como um lobo buscando tragar nosso rebento, para recorrermos à sabedoria de Deus e resistirmos a toda investida de maus espíritos contra ele.

Nossas experiências a este respeito foram várias, e em todas Deus nos deu vitórias, adestrando-nos para a batalha. Nossos dois filhos foram vítimas de perturbações malignas. Graças a Deus, em nenhum momento cogitamos em buscar psicólogos, que iriam apenas entorpecê-los com remédios, sem êxito.
Fomos ao homem da cruz, onde reside a libertação, e tanto eles como nós fomos fortalecidos na nossa fé e confiança absoluta no nosso Deus que agiu gloriosamente.

Muitas vezes dói meu coração pensando em quantas pessoas vítimas de espíritos que oprimem com visões, vozes, compulsões de um modo geral, mania de perseguição e tantas outras enfermidades emocionais e até psíquicas e a outras com possessões, são levados às clínicas de doentes mentais, passando seus dias sob o efeito de entorpecentes que inibem a personalidade, quando só Jesus poderia libertar totalmente essas pobres criaturas do domínio demoníaco.

É terrivelmente doloroso ouvir neste vídeo: http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM711871-7823-VEJA+MAIS+UM+CASO+DE+EXORCISMO,00.html , o embuste de um demônio aparecendo a Anneliese Michel, jovem alemã que vinha sofrendo com as torturas de demônios, travestido da mãe de Jesus, dizendo-lhe para escolher entre a morte e o sofrimento, que, segundo o impostor, optando pelo sofrimento, ela mostraria a muitos que o reino dos espíritos é real.
Meu Deus, lendo a bíblia católica ou protestante, de Gêneses a apocalipse, nada respaldaria essa diabólica mentira que ludibria a tantos que ignoram o conteúdo das Escrituras Sagradas.
Jesus, na cruz do calvário, pagou todo o preço pelos nossos pecados, resgatando-nos assim das mãos de satanás. Nenhum apóstolo, profeta ou sacerdote, servo do Deus vivo, foi jamais habitado por demônios para provar que eles são reais ou para purgar seus pecados ou amoldá-los ao caráter de Deus.
Como podemos crer que no mesmo corpo convivam o Espírito Santo de Deus e demônios? Isso é blasfêmia. Deus nos chamou para a liberdade.
Vejamos o apóstolo Pedro, a quem Jesus deu autoridade sobre a igreja de Cristo, ele era tremendamente usado por Deus: ressuscitou mortos, curou enfermos e tinha poder sobre os demônios, eles se lhe submetiam e jamais o possuíram. Afinal a promessa de Jesus foi:
“Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano.” Lucas 10:19.

“Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do Seu amor, no qual temos a redenção, a remissão do filho do Seu amor,” Colossenses 1:13,14.

Nunca podemos julgar ou determinar a causa que levou alguém a estar opresso ou possesso, a não ser pelo discernimento do Espírito Santo.
Existem pessoas com muita sensibilidade ao mundo espiritual, e elas precisam ser direcionadas pelo caminho que é Jesus, ser habitadas pelo Espírito Santo, ou estarão a mercê de espíritos malignos, sejam elas crianças ou adultas. Portanto, os pais, como autoridade constituída por Deus para educar e conduzir seus filhos em linhas retas, são absolutamente responsáveis por eles quando esses ainda não têm maturidade para trilharem pela vereda correta.

A tarefa é difícil, mas temos um Mestre que não nos deixa a sós quando recorremos a Ele, que conhece perfeitamente a mente e o futuro de cada um de nós. Em Cristo somos mais que vencedores. Pra. Guiomar Barba.



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

Nenhum comentário:

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML