sexta-feira, 25 de abril de 2008

ÊXTASE ESPIRITUAL



“Louvai a Deus no Seu santuário; Louvai-O no firmamento obra do Seu poder. Louvai-O pelos Seus poderosos feitos; louvai-O consoante a Sua muita sabedoria; louvai-O com saltério e com a harpa. Louvai-O com adufes e danças; louvai-O com instrumentos de cordas e com flautas. Louvai-O com címbalos sonoros; louvai-O com címbalos retumbantes. Todo ser que respira louve Ao Senhor. Aleluia! Salmo 150.”

Participamos por duas vezes, pela passagem do aniversário de Aracaju, de eventos promovidos pela prefeitura com bandas evangélicas.
Chamou-nos a atenção a fala do prefeito, quando declarou que ao chegar às imediações onde se celebrava o aniversário da cidade, ele sentiu o clima de paz e harmonia e que toda Aracaju com certeza, estava recebendo (em minhas palavras, bênçãos) através daquele evento.
Lembro-me que ele destacou a tranqüilidade em que estavam os guardas em suas guaritas em consequência do comportamento da multidão. Ele foi bem enfático ao afirmar que a presença de Deus era viva naquele lugar.
Este ano, embora mais conciso, voltou a afirmar claramente que percebia a presença de Deus naquele lugar. “Deus é luz.”
"É uma satisfação poder compartilhar esse momento de fé e de luz, em que os evangélicos de Aracaju vêm à praça para elevar suas preces e suas orações a Deus, agradecendo pelos 153 anos da nossa cidade", disse o prefeito.

Participando neste feriadão que nos proporcionou o vinte e um de abril, de um congresso de louvor, adoração e ministração da Bíblia, na cidade de Alagoinhas/BA, onde havia uma verdadeira multidão e creio que noventa por cento eram jovens e adolescentes, todos dançando, pulando, cantando, em fim, vivenciando trinitáriamente o momento, veio-me à memória o discurso do prefeito de Aracaju.
Seria ingrata se não houvesse adorado a Deus com todo meu coração por ver aquela exuberância de espiritualidade fluindo por todos os poros daqueles jovens e adolescentes durante aqueles dias.
Conhecendo bem o mundo das drogas, das bebidas, da delinqüência, prostituição, após trabalhar vinte anos diretamente nele, emocionei-me até as lágrimas conhecendo que aquela euforia que os embalava completamente discrepava absolutamente das loucuras que desequilibram milhares de pessoas nos shows dos ídolos seculares. Havia uma alegria plena, sem interferência de alucinógenos, bebidas, sexualidade, embora todos se deleitassem trinitáriamente, com suas roupas em estilo descontraído e despojado, como se veste a moçada moderna, mas com um interior trajado com uma roupagem espiritualmente embranquecida pela palavra.
Deliciava-me percorrendo o olhar por aqueles rostos banhados de lágrimas de adoração, ou sorrisos de puro louvor, que sabiam a hora de dançar, de pular, o momento de adorar em serena devoção e o momento de se deixarem ministrar pela palavra numa submissão plena ao Espírito Santo de Deus.
Pareciam famintos ao comer cada palavra, com os olhares fixos no ministro, prontos a aplaudirem Ao Senhor quando algo lhes calava mais profundo na alma.
Fomos presenteados pelo poder de Deus quando vimos dezenas e dezenas de pessoas testemunhando de curas preciosas. Vimos um senhor entrar ali com suas muletas, impossibilitado por uma atrofia, de sentir o prazer de andar livremente.
No nosso coração desejamos ver aquele homem curado, como se fosse algo quase impossível, culminou, no entanto, nossa gratidão e alegria vendo aquele homem que pulava testemunhando, sem as muletas, da glória de Deus.

Comentei com meu marido: olhando as multidões, o coração de Jesus doeu. Ele as viu como ovelhas aflitas, sem pastor.
Ó Deus, quantas são as pessoas que criticam os jovens por suas demandas, na maioria das vezes inconsciente do que realmente suas almas anseiam; mas quantos pastores realmente existem dispostos a ouvir, a gastar pacientemente tempo auxiliando-os, discipulando-os até que encontrem o seu caminho e se fortaleçam no espírito para enfrentarem este mundo demasiadamente caótico?
Os lares estão desestruturados, muitos pais "não têm tempo" para os filhos, os educadores, na sua grande maioria, se profissionalizaram. Urge a necessidade de ação a favor do rebanho, a igreja não pode negligenciar seu dever. O templo não é um lugar de ajuntamento de beatos, e sim a reunião da grande família de Deus, tendo como pai um líder realmente vocacionado por Deus para orientar as ovelhas e levá-las à coesão em Cristo e festejar suas vitórias com instrumentos e danças.
Oremos pela unidade da igreja de Cristo e ampla visão de nós, líderes.
Pra. Guiomar Barba.



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

Um comentário:

*Mel* disse...

Guioo primeira vez postando no teu blog... foi meio sem querer que vim parar aqui mas gostei muito da sua visão em relação aos jovens, porque afinal não precisamos de roupas pra dizer se somos verdadeiros cristãos ou não! precisamos é ter o coração cheio de amor, obediencia, precisamos ter um coração que se proste em adoração e como diz o título do seu texto precisamos estar em êxtase espiritual pra agradarmos a Deus. Está faltando um pouco disso mas fico feliz em saber que temos jovens assim hehehehe e que bommm que o congresso foi ótimo me falaram que foi uma benção! queria ter ido...
beijooo paz do Senhor pra tua vida e que Deus continue te abençoando!

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML