quinta-feira, 29 de maio de 2008

SEM PEDRAS



“Também Eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Mateus 16:18.

Sinto doer o meu coração quando leio acusações veementes contra a igreja de Cristo, mas, doloroso ainda por serem provenientes de membros do corpo, que chegam a dispensar a igreja como se houvessem recebido particular revelação de Deus neste sentido e apedrejam a Igreja de Cristo, sem discernimento, enfeixam joio e trigo, esquecem-se que haverá uma separação reservada à digna e única autoridade: O Senhor da ceara, no tempo próprio.
Sabemos que o ser humano nunca foi diferente, os fariseus sempre existiram e continuarão permeando todos os segmentos da sociedade, no entanto, não serão empecilhos para que Deus continue comunicando-se e sendo amigo do Seu povo, o profeta Amós é claro: “Certamente, O Senhor Deus não fará COISA ALGUMA, sem primeiro revelar o Seu segredo aos Seus servos, os profetas.” Amós 3:7.
Deus estava sempre empenhado em corrigir o Seu povo por exortações, castigos, conforme Sua onisciência e soberania, mesmo aos hipócritas, cínicos, soberbos, dominadores de rebanho, as estrelas, os sectaristas, Ele continua estendendo a Sua misericórdia em longanimidade como o fez a Jezabel:
Tenho, porém, contra ti o tolerares que essa mulher, Jezabel, que a si mesma se declara profetisa, não somente ensine, mas ainda seduza os Meus servos a praticarem a prostituição e a comerem coisas sacrificadas aos ídolos.
“Dei-lhe tempo para que se arrependesse; ela, todavia não quer arrepender-se da sua prostituição.” Apocalipse 2:20,21.

E não tenho dúvidas que tem muita gente parecendo joio que se transformará em vinho vertido se realmente for discipulado, amado e disciplinado. Somente os olhos de Deus, que perscrutam o coração do homem, descobrem esses grãos preciosos que ainda não morreram...

Se existe, ainda que seja um grande número de pessoas que não aprendeu e não querem aprender a tratar com o rebanho de Cristo, não podemos denominá-los de “igreja”. A igreja de Cristo invisível está espalhada por toda a terra, ainda que se dê uma outra conotação ao termo, fica explicito que se está injuriando o povo que se ajunta em templos; e quem somos nós para julgarmos quem aí está se é joio ou trigo, embora esteja no momento agindo como joio?
Por outro lado, se um determinado agrupamento ou vários não ensinam ou não julgam com sabedoria certos problemas comportamentais no seu meio, não se pode interpretar que ele creia que o assunto está resolvido. Não podemos determinar seu silêncio e muito menos julgá-lo como omisso e covarde e assassino dos seus próprios filhos sem conhecermos as causas e nos oferecermos para somarmos nossos esforços pela saúde do grupo.
Se vociferamos contra a igreja por práticas suspeitas que ocorram em alguns ou vários currais, sem contribuirmos com eles para mudança, não temos o direito de denegrir, condenar e propagar difamação contra parte da igreja que reúne-se ali, porque mesmo com todas as enfermidades, o evangelho está sendo pregado e, com certeza, Deus levantará intercessores que gemam pela saúde do grupo.

“Para que, pela igreja a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais.” Efésios 3:10.

Paulo, exortava, ensinava, repreendia, mas em nenhum dos seus escritos vemos o apóstolo referindo-se à igreja com ironia, desrespeito, acusações, como se ele mesmo não fizesse parte do corpo, mas fosse apenas um mero espectador.
Mesmo a igreja de Corinto, com todas as suas mazelas, não foi tratada por Paulo a pedradas, como fazem os “santos críticos” de hoje.

Temos os exemplos dos reis e profetas que se prostravam diante de Deus pelo povo e não se consideravam isentos de culpas, embora não houvessem praticado os mesmos pecados e nem tampouco fossem coniventes com as transgressões de Israel.

“No primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi, pelos livros, que o número de anos, de que falara O SENHOR ao profeta Jeremias, que haviam de durar as assolações de Jerusalém, era de setenta anos.
Voltei o rosto ao Senhor Deus, para O buscar com oração e súplicas, com jejum, pano de saco e cinza.
Orei ao SENHOR, meu Deus, confessei e disse: ah! Senhor! Deus grande e temível, que guardas a aliança e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus mandamentos; temos pecado e cometido iniqüidades, procedemos perversamente e fomos rebeldes, apartando-nos dos teus mandamentos e dos teus juízos; não demos ouvidos aos teus servos, os profetas, que em Teu nome falaram aos nossos reis, nossos príncipes e nossos pais, como também a todo o povo da terra.
A ti, ó Senhor, pertence a justiça, mas a nós, o corar de vergonha, como hoje se vê; aos homens de Judá, os moradores de Jerusalém, todo o Israel, quer os de perto, quer os de longe, em todas as terras por onde os tens lançado, por causa das suas transgressões que cometeram contra ti.
Ó SENHOR, a nós pertence o corar de vergonha, aos nossos reis, aos nossos príncipes e aos nossos pais, porque temos pecado contra ti.
Ao Senhor, nosso Deus, pertence a misericórdia e o perdão, pois nos temos rebelado contra ele
e não obedecemos à voz do SENHOR, nosso Deus, para andarmos nas suas leis, que nos deu por intermédio de seus servos, os profetas.
Sim, todo o Israel transgrediu a Tua lei, desviando-se, para não obedecer à Tua voz; por isso, a maldição e as imprecações que estão escritas na Lei de Moisés, servo de Deus, se derramaram sobre nós, porque temos pecado contra Ti.” Daniel 9:2-12.

Esta deve ser a nossa postura: “a nós nos cabe corar de vergonha”, porque todos nós pecamos. Se Deus olhar iniqüidade em nós, um sequer de nós se salvará. Não há ninguém bom, somente Deus; somos todos justificados pela infinita graça e misericórdia do Pai.
A igreja de Cristo é a noiva invisível, que está sendo tratada, forjada, para ser arrebatada sem mácula e sem ruga.
Tenhamos cuidado quando nos referimos à igreja, Seu noivo a ama profundamente e tem zelo por ela. Se somos membros do corpo, não podemos agredi-lo sem que nós mesmos sejamos machucados. Usemos o nosso talento com amor em prol dela e não a acusemos em detrimento de nós mesmos.
Doída, Pra. Guiomar Barba.



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

4 comentários:

adones@comentários-escriturísticos disse...

A paz do Senhor prª Guiomar! Ler seus comentários foi edificante, fazer parte de seus amigos e irmãos é um prazer. Que o Amado Jesus, grande Pastor das ovelhas, e que em breve virá buscar os seus, encha o seu coração de amor e espernça. Nós também amamos as almas perdidas. Trabalhamos para Jesus há muitos anos, sem salário, sem reconhecimento; no anonimato, mas com prazer. Ore por nós. Um abraço ao esposo e família. A paz!!!

Márcio Melânia disse...

Paz, Amor e Graça, irmã!

Coloquei o seu link no Notícias Cristãs. Se possível coloque-me aqui no seu blog também, ok?
Deus a abençõe.

Luis Paulo Silva disse...

Paz!!!
coloquei seu banner no meu blog, se quiser me divulgar tb será um prazer fazer esta parceria!

Paraabens pelo blog, que continue abençoando muitas vidas.

Luis.

www.despertaiceifeiros.blogspot.com

www.luispaulosilva.blogspot.com

Seminário disse...

Rico, inspirador e abençoado conteúdo deste post!!!
Abraço e continue sempre na abundante Graça!!!
Seminario Internacional Teologico de São Paulo

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML