terça-feira, 24 de junho de 2008

NELE PODEMOS CONFIAR


Confiar mesmo sem respostas, sem promessas, até mesmo quando nossa voz, de tão débil, já nem sequer provoca ecos.
Sem medos, sem desilusões, com esperança firme, inabaláveis.
Confiar mesmo com o céu escuro, em temporal, ou com o sol causticante e a terra rachada.
Com o barco à deriva no mar revolto, sem esperança de chão.
Confiar quando os amigos se vão, os parentes abandonam e tudo é solidão.
Quando não tem pão nem teto seguro, trabalho e nem expectativa sequer.
Quando o mundo gira, as horas passam, tudo caminha e parece que só nós não saímos do lugar.
Confiar quando as enfermidades minam nossas energias e os médicos estão fora de alcance, muito mais os remédios, e nós ainda temos que trabalhar.
Quando nos caluniaram e nós não temos como provar o contrário.
Quando Judas nos traiu e não há como não morrermos...
Confiar quando, como mendigo sob a mesa do rico, comemos migalhas e sentimos a baba da língua do cão sobre as nossas feridas abertas, purulentas e fétidas.
Confiar que quando nossos credores quiserem levar nossos filhos como escravos, Elizeu virá e teremos azeite para vender e pagar as dívidas.
Quando o gigante inimigo se aproxima e somos como um gafanhoto diante da sua fúria e estatura.
Confiar quando somos humilhados pela esterilidade que nos impede de gerar vida.
Quando Jesabel, Acabe, Saul nos cata como a uma agulha no palheiro, famintos de sangue e de uma vingança sem causa, pretextuosa apenas.
Confiar quando alguém, ardendo em ciúmes, inveja, descobre um meio de puxar nosso tapete.
Confiar quando ninguém acredita em nós e atribui nossas adversidades a um castigo divino.
Quando, como José, nos encontrarmos no calabouço frio, escuro, sem um justo procedimento.
Confiar quando a tarefa nos pareça árdua, ou acima da nossa capacidade.
Quando Deus nos ordena: deixa a tua casa e a tua parentela e vai para a terra que Eu te mostrarei.
Confiar quando nosso único filho chora por água e nós não vemos um poço.
Quando, como Gideão, pensamos que a nossa família é a mais frágil da terra e percebemos inimigos se aproximando para destruí-la totalmente, mas o anjo nos diz que nós o esmagaremos.
Confiar quando Esaú está vindo no nosso caminho com uma multidão e nós sabemos que temos uma dívida para com ele e o intento do coração dele seria matar-nos.
Confiar quando a figueira não floresceu nem a vide deu fruto; o produto da oliveira mentiu, e os campos não produziram mantimentos; e as ovelhas foram arrebatadas do aprisco, e nos currais já não há gado.
Confiar que os nossos pés serão como o da corça e andaremos altaneiramente.

Quando o nosso espaço se limitar a uma gaiola, nós ainda poderemos desferir o cântico de confiança naquEle que é soberano e trabalha para aqueles que nEle esperam. Em Deus sim, podemos confiar.




Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

2 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom. Parabens, que O Senhor contiunue dando para voce o dom da palavra

david

Carina Bastos disse...

Oi,

Tremendo o texto porque vem da fonte inesgotável que é a Palavra de Deus!

Obrigado por saber tão bem compila-las e nos abençor!

Posso postar no meu Blog também!!!

Fim de semana abençoado prá vcs!

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML