quinta-feira, 19 de junho de 2008

TIRAI AS RAPOSAS E AS RAPOSINHAS


Se, pelo contrário, tendes em vosso coração inveja amargurada e sentimento faccioso, nem vos glorieis disso, nem mintais contra a verdade.
Esta não é a sabedoria que desce lá do alto; antes, é terrena, animal e demoníaca.
Pois, onde há inveja e sentimento faccioso, aí há confusão e toda espécie de coisas ruins. (Tiago, 3:14-16).

Não há um lugar onde os espíritos que movem pessoas com essas emoções carnais citados por Tiago e muitos outros sentimentos da mesma categoria, tenham mais prazer de atuar, como entre irmãos em Cristo. Para eles é o mais excelente deleite vê-los guerreando entre si, abrasados por inveja, ciúmes, disputas, despeitos, maledicências, minando o amor fraternal o qual tanto almejou Jesus que houvesse entre nós: ”Pai, que eles sejam um”! E em conseqüência, retardando a obra de Deus entre os que ainda não chegaram ao conhecimento da verdade, uma estratégia que tem prosperado eficazmente para glória do reino das trevas.

Como é fácil se ouvir alguém denegrir um irmão em Cristo sem que isso incomode. Antes, leva a quem dá ouvidos à falsa concepção de que ele é mais santo porque não procede de igual modo. Hipocritamente, se alegra pelo argueiro que supostamente está no olho do seu irmão, porque alguém maldisse, e permanece cego pela trave que de bom grado carrega no seu próprio olho. Quando não, somos nós mesmos que julgamos o nosso irmão, por atribuir-nos o dom de discernimento, confundindo-o com o “dom de suspeita” que nos conduz a julgamentos maliciosos. O prazer de imaginar nudez nos outros adula o coração, que lhe parece “puro aos seus próprios olhos.”
Tendemos a ouvir os comentários negativos sobre alguém a quem Jesus ama e escolheu para servi-Lo sem ponderações. Não fazemos acareação, simplesmente ouvimos um lado da suposta história e já nos é suficiente para concluirmos negativamente sobre quer seja o caráter, a espiritualidade ou as fragilidades do nosso semelhante, procedendo assim injustamente diante de Deus e dos homens. O pior é que, geralmente nesses casos, se esfria o amor para com quem foi vítima da maldade, e na maioria das vezes quando ela percebe e procura saber a causa, cinicamente se nega que há indiferença ou camufla a verdade supondo enganar.
Uma vez escutei em uma reunião pública o pastor que estava ministrando fazer um parêntese olhando para outro e dizer: um sacerdote não fala mal de outro... O outro pastor que estava sendo ali exposto esboçou um sorriso de tranqüilidade. Realmente, nós fomos testemunhas de que esse pastor havia sido difamado e caluniado por um outro colega que costumava denegrir imagens, saberá Deus com que objetivo.

“... e a sétima Sua alma abomina: testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos.”

O diabo sabe a quem usar e contra quem se levantar. Percebemos que ele visa aqueles que estão lutando pelo crescimento do Reino Celestial, que têm no coração a chama viva do Espírito e são capazes de renunciar a si mesmos por amor à obra. Satanás utiliza, então, exatamente os que aspiram estrelato entre os demais para minar a fé, o amor e ardor pelo servir daqueles que realmente foram vocacionados por Deus.

“Escrevi alguma coisa à igreja; mas Diótrefes, que gosta de exercer a primazia entre eles, não nos dá acolhida.” (3ª João 9).

“Mas o que faço e farei é para cortar ocasião àqueles que a buscam com o intuito de serem considerados iguais a nós, naquilo em que se gloriam.”
Porque os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo. (2ª Coríntios 11:12,13.)

Infelizmente todos nós caímos, uns mais, outros menos, na questão da maledicência e julgamento precipitado. Eu mesma costumo pedir ao meu marido, e até às vezes aos meus filhos, que se eu fizer qualquer comentário negativo acerca de alguém, que, por favor, me cortem de imediato. Ficamos farisaicamente revoltados quando sabemos que alguém disse mal de nós ou se apressou em julgar-nos. Conhecedor dessas nossas incoerências, o sábio Salomão aconselha:
Certamente não há homem justo na terra que faça o bem e nunca peque.
Tampouco apliques teu coração a todas as coisas que se falam, para que não ouças teu servo quando diz mal de ti; PORQUE TEU CORAÇÃO SABE QUE TU TAMBÉM DISSESTE MAL DE OUTROS. (Eclesiastes 7:20-22 – Bíblia Thompson – versão espanhola).
Tiago clama: Irmãos, não faleis mal uns dos outros. (4:11).

Como Deus gostaria de atender a oração de Jesus a nosso favor: Pai que
eles sejam um! Mas, nós mesmos, em detrimento de nosso crescimento espiritual e de uma vida abundante, escolhemos não obedecer. E nós, a igreja de Cristo, com certeza temos sofrido em decorrência da nossa desobediência de forma intensamente corrosiva.
O que seria necessário para levar-nos à unidade, mesmo com as nossas diferenças e mantendo firme as nossas identidades? Eu creio que transparência, lealdade entre os irmãos e submissão a Deus. Pra. Guiomar Barba.

“Ora, a língua é fogo; é mundo de iniqüidade; a língua está situada entre os membros de nosso corpo, e contamina o corpo inteiro, e não só põe em chama toda carreira humana, como também é posta ela mesma em chamas pelo inferno”. (Tiago 4:6).



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

Nenhum comentário:

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML