domingo, 20 de julho de 2008

"QUALQUER CULTURA NASCE DE UM PARADOXO INAUDITO..."















Postado por Paulo Correia no seu blog "Filhos de Um Deus Menor." Portugal tem os mesmos clamores que o Brasil e o mundo. Estamos todos na mesma decadência. (Guiomar Barba)

"FELIZ É A NAÇÃO CUJO DEUS É O SENHOR"!

Qualquer cultura nasce de um paradoxo inaudito. Quando crianças, entramos, por vezes, na sociedade sob o signo da violência. Uma cultura sob os auspícios da violência tudo nos tira: a nossa procura insaciável de uma satisfação ilimitada, o nosso amor infinito por nós próprios que, por força das circunstancias, se há - de confundir com o tipo de quotidiano onde, paulatinamente, nos movemos. Quando ainda crianças, até a nossa mãe - que amamos como nunca amaremos ninguém - nos quer "aculturar, isto é: ensina-nos a renunciar. Esta aculturação em bairros degradados, onde os valores da família perderam toda a carga afectiva, de partilha, de condescendência, é, de facto, de grande violência. Violência geradora de condicionalismos, pressões, que nos modela, nos dá forma, nos constitui, ainda assim, em «seres culturais». Mas...o maior paradoxo é quando, já adultos, descobrimos que: raramente nos recompomos da referida violência e, se alguma capacidade de reflexão ainda sobrou, facilmente sentimos em nós as feridas indeléveis que aquela nos deixou. Estranho é, o facto de, já adultos, e apesar das "feridas", continuamos, incessantemente, a desejar o impossível sem aceitarmos assumir o trágico, os factos brutais, o insólito e... principalmente, o insolente real. Depois...deliramos. Afinal a cultura delira conosco e promete-nos o impossível: a felicidade absoluta, e a reconciliação total... Até a sociedade se vai afastando do seu "papel". Era suposto que cada sociedade pusesse à nossa disposição uma série preferencial de defesas, "impulsos" despertadores de mobilização e organização. Uma sociedade que nos ensina-se a recalcar determinados desejos, certas pulsões, certos fantasmas. Não! A actual sociedade, que faz "bandeira" da liberdade da pessoa humana, é uma utopia! A actual sociedade, usando mecanismos «invisíveis», acaba por "declarar", em muitos casos, uma condenação à "morte" sobre determinados tipos de comportamentos. A tudo isto juntam-se o "sagrado", o "afectivo", o "irracional", o "místico", em inequívoco sentido oportunista. Restam os inconformados... esses.. encontramo-los em "vidas subterrânea" ou em existências clandestinas . Outros... refugiam-se num comportamento sectário ou até mesmo psicótico. Hoje, apenas encontramos aculturados técnicos. Encontramo-los ao voltar das esquinas quando não nas mais altas estruturas do Estado. O perigo maior que nos espreita é a consequência última da condição de aculturados técnicos: perda do sentimento da nossa identidade.



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

4 comentários:

Agnaldo Gomes disse...

Olá Guiomar,
Passa no meu blog e veja o selo/prêmio para a sua página.
Uma maneira de premiar e divulgar este excelente blog.
Um abraço,
Agnaldo Gomes

Agnaldo Gomes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Sempre disse...

Obrigado por me trazer para o seu "abrigo".

Beijo
Paulo Sempre
PORTUGAL

Seminário disse...

Que Deus continue abençoando seu trabalho e nos edificando com seus post Fica Na Paz!!!!
Seminario Internacional Teologico de São Paulo

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML