domingo, 2 de novembro de 2008

DOMÍNIO PRÓPRIO

Simples... Se deixássemos a raiva secar, estaríamos exercendo o domínio próprio, conseqüentemente, nossos relacionamentos glorificariam o Nome do Senhor em meio aos que não receberam a Cristo e entre a irmandade nos fortaleceríamos para a expansão do Reino em todos os sentidos.
Confesso que esta é uma meta do meu coração, por ela já derramei muitas lágrimas e tenho lutado para vivenciar este mandamento mais efetivamente.
O que me intriga é que, dentro de vinte anos de casados, tanto meu marido como eu pudemos vivenciar esta prática. Sabemos calar ante a ira um do outro e esperar pela bonança para conversarmos com harmonia, e assim, graças ao Nosso Deus, somos um casal feliz, que namora diariamente, como diz meu marido, com muito mais maturidade agora do que nos primeiros anos em que nos conhecemos. E temos impressionado muitos vizinhos com os quais convivemos por tantos lugares onde já moramos. Levando também o equilíbrio aos nossos dois preciosos filhos, que muitas vezes têm sido alvo de comentários positivos até mesmo em escolas. Pergunto-me: Não estaria a falha em não amar a todos com a mesma grandeza? (Guiomar Barba).
DEIXE A RAIVA SECAR
Mariana ficou toda feliz porque ganhou de presente um joguinho de chá, todo azulzinho, com bolinhas amarelas. No dia seguinte, Julia sua amiguinha, veio bem cedo convida-la para brincar. Mariana não podia porque ia sair com sua mãe naquela manha. Julia, então, pediu a coleguinha que lhe emprestasse o seu conjuntinho de chá para que ela pudesse brincar sozinha na garagem do prédio. Mariana não queria emprestar, mas, com a insistência da amiga, resolveu ceder, fazendo questão de demonstrar todo o seu ciúme pôr aquele brinquedo tão especial. Ao regressar do passeio, Mariana ficou chocada ao ver o seu conjuntinho de chá jogado no chão. Faltavam algumas xícaras e a bandejinha estava toda quebrada. Chorando e muito nervosa, Mariana desabafou: Esta vendo, mamãe, o que a Julia fez comigo?
Emprestei o meu brinquedo, ela estragou tudo e ainda deixou jogado no chão. Totalmente descontrolada, Mariana queria, porque queria, ir ao apartamento de Julia pedir explicações. Mas a mamãe, com muito carinho, ponderou:
- Filhinha, lembra daquele dia quando você saiu com seu vestido novo todo branquinho e um carro, passando, jogou lama em sua roupa? Ao chegar a sua casa você queria lavar imediatamente aquela sujeira, mas a vovó não deixou. Você lembra do que a vovó falou? Ela falou que era para deixar o barro secar primeiro. Depois ficava mais fácil limpar. Pois e, minha filha! Com a raiva e a mesma coisa. Deixa a raiva secar primeiro. Depois fica bem mais fácil resolver tudo. Mariana não entendeu muito bem, mas resolveu ir para a sala ver televisão. Logo depois alguém tocou a campainha. Era Julia, toda sem graça, com um embrulho na mão. Sem que houvesse tempo para qualquer pergunta, ela foi falando:
- Mariana, sabe aquele menino mau da outra rua que fica correndo atras da gente? Ele veio querendo brincar comigo e eu não deixei. Ai ele ficou bravo e estragou o brinquedo que você havia me emprestado.Quando eu contei para a mamãe ela ficou preocupada e foi correndo comprar outro brinquedo igualzinho para você. Espero que você não fique com raiva de mim. Não foi minha culpa. Não tem problema, disse Mariana, minha raiva ja secou. E, tomando a sua coleguinha pela mão, levou-a para o quarto para contar historia do vestido novo que havia sujado de barro.
(Recebi de uma amiga).



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

2 comentários:

Carlos Alberto disse...

Guio, q/ "Jesuscidência"!; eu e Ana (de Olavo Patrícia e Nato) conversamos a pouco sobre a raiva e controlá-la. Essa de deixar a lama secar na roupa p/ removê-la foi muito sabio, é bem pór aí!
Bjos,
Ana e Carluca

Anônimo disse...

Nossa Parabéns Pela Mensagem, Muito Lindo a Forma que Vocês Lhe da com Os Poblema. Que JESUS Continue abençõado a Vidas de vocês.
Abraços.

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML