terça-feira, 28 de julho de 2009

MARAVILHOSA MORTE FÍSICA

Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está ó morte, o teu aguilhão? (1 Coríntios 15:55).
A ciência ao longo dos anos desencadeia uma luta titânica para deter a morte ou no mínimo postergá-la. Às vezes com êxito, outras com frustrações humilhantes; mas sempre prosseguindo, determinada, inexorável, e assim continuará com descobertas que assombrarão os próprios cientistas que desvendarem os segredos da natureza profeticamente destinados ao conhecimento humano.
“E tu Daniel, fecha estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo: muitos correrão de uma parte para outra, e a ciência se multiplicará.” (Daniel 12:4).
No seu infinito amor Deus havia projetado um mundo de vida e vida em abundância, a morte jamais esteve nos planos de Deus para a humanidade. A própria natureza nos ensina. Ela gera vida mesmo através da morte:
“Em verdade, em verdade, vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto. (João 12:24).
O homem por sua cobiça trouxe a morte eterna para a vida: “Portanto, assim como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a ‘morte’, assim também a ‘morte’ passou a todos os homens, porque todos pecaram.” (Romanos 5:12). No entanto, Deus, na sua infinita misericórdia, determinou mais uma vez o acesso a vida eterna pela qual Ele sempre se empenhou a favor da raça humana. “Todavia, não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se, pela ofensa de um só, morreram muitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça de um só homem Jesus Cristo, foram abundantes sobre muitos.” (Romanos 5: 15). E é por esta grandiosa providência que o salmista Davi afirma: “Preciosa é aos olhos do Senhor a morte dos seus santos.” (Salmo 116:15). Tendo por certo a absoluta certeza de uma vida eterna com Cristo e a morada após o julgamento final, em uma terra totalmente restaurada, que Paulo o grande pregador do evangelho ousa dizer: “Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro.” (Filipenses 1:21). Conquanto, não estaria o apóstolo, subestimando a vida terrena, mas, tendo sido arrebatado até o terceiro céu como ele mesmo relata em segunda Coríntios capítulo doze, versículos um à seis, e tendo a certeza inabalável de que em Cristo Jesus, estava salvo da condenação eterna, nada mais compreensível, que desejasse voltar para os eternos braços do Pai.
Para os que estão em Cristo seguros do perdão dos seus pecados, confirmados pelo Espírito Santo de Deus, a morte não é nada mais que apenas uma ponte para a vida prometida por Deus. A vida sem fronteiras, sem limites, infinita. Esta convicção não somente faz adormecer em paz os que são chamados a eternidade, como também, apesar da saudade dolorosa que acomete o coração dos que ficam ameniza-lhes a dor da separação com a certeza do reencontro: “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor.Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras.”(1 Tessalonicenses 4:16-18).
Crentes nestas verdades sagradas nos alegramos pelos nossos ente queridos que já se foram desta vida, na certeza de que eles nos esperam muito além deste mundo tenebroso, lá onde a morte e o pranto não se encontrarão. Estando ausente desse tabernáculo (corpo) corruptível, já revestidos de incorruptibilidade desfrutam de uma vida de descanso e paz.
UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA POR MIM
Tenho uma amiga médica cuja mãe evangelizei e logo recebeu Jesus como seu salvador. Creio que após duas semanas, ela foi internada; tinha um câncer em estado muito avançado. Ela estava inconsciente quando fomos visitá-la, não demorou dias... Já amanhecia quando em sonho vi uma mão negra, lembro-me bem do formato, era gordinha e pequena, estava um pouco acima dos meus olhos, numa distância talvez de meio metro, mas, suavemente uma outra mão branca como a neve e no mesmo formato, foi substituindo aquela mão negra. Despertei e tive a certeza que a mãe da minha amiga havia partido para a eternidade. Não tardou, recebi o comunicado que o corpo já estava na igreja, de onde sairia para o cemitério. Ao contemplar aquele corpo sem vida naquele caixão, havia uma segurança no meu coração: a morte havia sido tragada pela vida para todo sempre.
A vida é um dom de Deus, saibamos vivê-la para a glória dEle!



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

3 comentários:

Soli Limberger disse...

Obrigado por sua visita meu querido irmão. Acho que a parábola do Bom Samaritano que Jesus ensinou deixou bem claro que é nossa obrigação demostrar o amor. Isso é totalmente diferente de caridade pra ganhar salvação. Nós cristãos precisamos aprender que amar é um verbo de ação. Amar é fazer algo... não apenas olhar as pessoas caídas pelo caminho... Amar é Fazer.

Que bom que podemos, eu e vc, contribuir com o verdadeiro amor de Deus pra esse mundo e fazer a diferença na dor da alma e do corpo das pessoas.

Um grande abraço querido, pra vc e toda sua família.

Vai ser uma honra pra mim ter vc "seguindo" nosso blog.

Soli Limberger | BUSCAI o REINO
http://buscaioreino.blogspot.com

Paulo Sempre disse...

"Amigo é aquele que sabe tudo a seu respeito e, mesmo assim, ainda ama você."
(Kim Hubbard)

Beijo
Paulo

Viviane Jacome RN disse...

Amada Gui agradeço ao Senhor por te usar, para que escrevas artigos que enchem nossa alma de esperança e conforto. Quantas pessoas que vagam sem Jesus em suas vidas, almejam por uma vida terra eterna, tadinhas, não conhecem a verdade onde as mostrará que existe sim uma vida eterna, aquela para onde o pai nos levará, essa sim, será uma vida de gozo e paz!!!

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML