domingo, 5 de julho de 2009

PALAVRA VIVA

Meus queridos e preciosos leitores, gostaria de pedir perdão a todos vocês por haver involuntariamente postado truncada a mensagem Palavra Viva, como estavámos em viagem para um período de descanso, só agora, ao voltarmos, percebemos nossa falha. Agora, estamos postando ela na sua íntegra. Mais uma vez pedimos nossas desculpas. Um abraço com gratidão a todos vocês.
Ontem ao meio dia eu estava diante de Deus, rasgando meu coração, inconformada com as escórias que ainda existiam dentro de mim, apesar dos anos de convertida. Disse a Deus que havia perdido as esperanças em mim, mas que ainda havia um pavio fumegante e que eu sabia que apesar de ser uma cana quebrada Ele não me esmagaria. Após derramar toda minha alma diante dEle, não me senti consolada...
Hoje são dezoito de junho, eram cinco e vinte e cinco da manhã quando despertei. Apesar de ter ido dormir tão tarde ontem, sei que O Senhor me despertou. “Ele me desperta todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que eu ouça como os eruditos.” (Isaias 50.4b). Desejo compartilhar com você nestas primeiras horas da manhã o que Ele ministrou ao meu coração:
“Veio sobre mim a mão do Senhor; Ele me levou pelo Espírito do Senhor e me deixou no meio de um vale que estava cheios de ossos secos, e me fez andar ao redor deles; eram mui numerosos na superfície do vale e estavam sequíssimos. Então, me perguntou: Filho do homem, acaso, poderão reviver estes ossos? Respondi; Senhor Deus, Tu o sabes. Disse-me Ele: Profetiza a estes ossos e dize-lhes: ossos secos, ouvi a palavra do Senhor. Assim diz O Senhor Deus a estes ossos: Eis que farei entrar o espírito em vós, e vivereis. Porei tendões sobre vós, farei crescer carne sobre vós, sobre vós estenderei pele e porei em vós o espírito, e vivereis. E sabereis que eu sou o Senhor. Então, profetizei segundo me foi ordenado; enquanto eu profetizava, houve um ruído, um barulho de ossos que batiam contra ossos e se ajuntavam, cada osso ao seu osso. Olhei, e eis que havia tendões sobre eles, e cresceram as carnes, e se estendeu a pele sobre eles; mas não havia neles o espírito. Então Ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza ó filho do homem, e dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. Profetizei como Ele me ordenara, e o espírito entrou neles, e viveram e se puseram em pé, um exército sobremodo numeroso.”
(Ezequiel 37. 1-10).
Eu poderia ter me esquecido do meu clamor, apesar da sinceridade com que o fiz. Mas Deus não, Ele é lindo, é amor, é responsável. Abri minha bíblia e, antes mesmo de ir para o livro no qual estou meditando, meus olhos caíram na palavra transcrita acima. Comecei a ler rapidamente e segui lendo a segunda profecia, mas me senti incomodada pelo Espírito a voltar ao vale. Percebi então que, como Israel, eu dizia: “meus ossos se secaram e pereceu a minha esperança, não tem jeito para mim.”
Se Deus houvera perguntado, antes de falar comigo, você acredita que você pode mudar? Creio que eu teria respondido: ah Senhor já tentei tanto... Já lutei para obedecer ao mandamento: “transformai-vos pela renovação da vossa mente,” mas continuo repetindo o que Paulo deixou para trás: Miserável mulher que sou! No entanto, da mesma forma como o Senhor não perdeu tempo respondendo as lamúrias de Gideão, mas foi objetivo convocando-o a comandar a sua própria vitória, Ele fez saltar aos meus olhos a mensagem: “sair da sepultura.”
Deus não tem compromisso com aparências, portanto, não se limitou aos tendões, carne e pele, que podem dar beleza, impressionar... Nem mesmo com uma vida em movimento... Por isso, Ele continuou prometendo: “Eis que abrirei as vossas sepulturas, e vos farei sair dela... Sabereis que Eu sou o Senhor, quando Eu abrir a vossa sepultura e vos fizer sair dela, ó povo meu. (Ezequiel 37.12). Jesus expôs as imundícias dos corações dos escribas e fariseus quando julgou: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que, por fora, se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos, e de toda imundícia!” (Mateus 23.27). Enquanto estes, assemelhando-se aos próprios sepulcros, tinham prazer em viver sua farsa, em contrapartida, nesta visão Deus nos revela que Ele se deleita em nos tirar da nossa sepultura, desta prisão fétida, que abriga medos, inseguranças, julgamentos, mentiras, amarguras, traumas, desânimo e tantas outras mazelas que nos fazem definhar os ossos.
Infelizmente, as pessoas vivem tão sedentas por profecias cheias de promessas mirabolantes, esperançosas na cumplicidade de Deus com sua auto-piedade que não conseguem assimilar nenhuma profecia que lhes confronte, que, exponha como Paulo a Pedro o pecado do seu coração. “Quando, porém, vi que não procediam corretamente segundo a verdade do evangelho, disse a Cefas, na presença de todos: se, sendo judeu, vives como gentio e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus? (Galátas 2.14). “Porque vai chegar o tempo em que as pessoas não suportarão a sã doutrina; antes, segundo seus próprios caprichos, buscarão para si um montão de mestres que só lhes ensinem o que eles querem ouvir. Darão as costas a verdade e darão crédito a toda classe de contos.” (2 Timóteo 4.3,4 – versão espanhola DHH).

A íntima comunhão com Deus procede do obedecer...



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

Um comentário:

Danilo Fernandes disse...

Ola irmãos!

Navegando por ai achei seu blog. Surpresa boa. Vou segui-lo a partir de agora. Quando tiver um tempinho, vá visitar meu blog também, o Genizah.

A paz!

Danilo


http://genizah-virtual.blogspot.com/

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML