sábado, 15 de agosto de 2009

O NOSSO CAMINHO É DEUS QUEM DETERMINA

Moisés era versado em toda cultura do Egito, a bíblia não relata se ele ocupava algum cargo no reino de faraó, mas, por suposto, ele não era um desocupado a desfrutar das riquezas dos seus avós e mãe adotivos em orgias noturnas. Com certeza o coração de Moisés estava impregnado do Deus a quem serviam os seus pais hebreus, e ele tinha consciência da situação de escravidão à que estavam entregues seus irmãos. E por tentar fazer justiça ao seu modo contra um egípcio que espancava um hebreu, foi forçado a fugir para Midiã. Lá estava Moisés, com toda sua bagagem cultural, apascentando ovelhas e dedicando-se por certo a sua pequena família e ao seu sogro, a quem respeitava, e era amigo. Ele parecia estar bem acomodado àquela vidinha rural tranqüila, quando chega Deus e diz: “Moisés! Vamos à luta. Acabou o tempo de sossego”. Ele então relutou com Deus a ponto de provocar-lhe ira e O Grande Eu sou fez valer para Moisés seu senhorio sobre a sua vida. É bem provável, que antes da visão da sarça ardente algumas pessoas estivessem dizendo a Moisés: como é possível você, com toda esta bagagem cultural, ficar aqui apascentando ovelhas que nem sequer são suas... Por que você não faz...? Por que você não vai...? Por que você não tenta? Por que está acomodado? Sempre encontramos pessoas que querem direcionar nossas vidas e às vezes até querendo nos fazer crer que estão transmitindo ordens divinas, com “profetadas”, ou citando versículos bíblicos objetivando respaldar suas sentenças de castigo no caso de não serem obedecidas. Durante estes longos três anos em que estamos em Aracaju, sem estarmos membro de uma igreja, ouvimos pessoas nos perguntarem: por quem você está sendo ministrada? Você não pode ficar sem uma cobertura espiritual, sem alguém que lhe ministre que esteja sobre você. Apenas rio e, cá com meus botões, sempre penso: ela esqueceu que não tem ninguém sobre ela, que o fato de ser membro de uma igreja e ser líder não traz simultaneamente alguém sobre si. Até porque que na maioria das vezes muitos líderes jamais aceitariam se submeterem, mesmo sendo uma ordem: “sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.” (Efésios 5.21). Bem, temos uma ordem: “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima” (Hebreus 10.25). Desobedecemos quando, voluntariamente, abandonamos a nossa congregação, na maioria das vezes ressentidos por problemas que são peculiares a todo ajuntamento humano. É diferente, no entanto, quando por questões de saúde, por estar cuidando de algum doente que não pode ficar sozinho ou por outro motivo justo você está impedido de congregar. Porém, não temos o direito de julgar a ninguém que esteja sob forte convicção de que Deus o tenha levado a ficar a onde queira Ele. Sem igreja, sem reuniões, sem convívio social... Só, apenas com Ele, sendo tratado, ensinado, burilado pelo Espírito Santo de Deus em orações, jejuns, vigílias, estudos bíblicos. Sabemos que não são todas as pessoas que estariam aptas a enfrentar este deserto, mas Deus sabe a quem escolher, porque é Ele quem capacita e com certeza nenhum de nós escolheríamos o anonimato, o exílio, até porque somos animais sociais. “O melhor lugar para nós, será sempre o centro da vontade de Deus.” Lembro-me muitas vezes haver recebido ordem do conselho ministerial para ir ou não ir para determinado campo, no entanto, o Espírito Santo de Deus de antemão já havia me dado outras ordens. Eu apenas calava em submissão e esperava o desenrolar dos fatos. Não ficava surpresa quando era chamada ao gabinete para receber novas ordens conforme o Espírito Santo já havia me comunicado. Fui “intimada” certa vez por um homem de Deus, por quem nutro um grande respeito, a ir para um campo missionário, contudo, eu estava diretamente submissa ao presidente da obra, portanto, conversei com ele sobre o assunto. Ele foi radicalmente contrário a nossa ida. Foi preciso: Não vou abrir mão de você e assumo as conseqüências. Mas, o Espírito de Deus começou a me inquietar seriamente, quanto mais orávamos, mais tínhamos certeza que deveríamos ir. Na minha angústia, fui à casa de uma amiga, ela estava em uma casa ao lado em uma reunião de oração. Cheguei em silêncio, entrei na roda, eu conhecia apenas a Miriã, mas o Grande “Eu Sou” me conhecia. Assim, tomou uma moça em profecias, e de olhos cerrados aquela moça profetizou: “tu irás sobre asas de águia e não temas porque eu serei contigo...” Não lembro toda a profecia, mas sei que saí daquele lugar com uma convicção inabalável de que Deus havia confirmado aquilo que já estava posto no nosso coração. Creio que foi no domingo seguinte, quando o pastor presidente descia as escadas do templo, me viu no jardim e disse: quero falar com você, ao que respondi: eu também quero falar com o senhor. Ele contestou: fale primeiro. Eu lhe respondi, prefiro que o senhor fale e eu saberei se é Deus que está confirmando. Então ele me disse: - é, baiana, não quero lutar contra Deus, vai! - Respondi, era isto mesmo que queria lhe dizer, que Deus me falou que devo ir. Assim que não foram homens que determinaram sobre meu caminho, apesar de estar submissa ao ministério. É Ele que remove reis e estabelece reis...
“Eu sei Senhor, que não cabe ao homem determinar o seu caminho, nem ao que caminha o dirigir os seus passos.” (Jeremias 10.23).



Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

Um comentário:

Celia Guerreiro - meu nickname: Nice SpOt disse...

olá Guiomar
gostei mto.
lembrei do que vem escrito em
I Jo.2.27
E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis

bjiiihhns pa vcs. na graça e paz do Senhor Jesus

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML