segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Deus, o Amigo Presente

"Naquele dia, se dirá: Eis que este é o nosso Deus, em quem esperávamos, e Ele nos salvará. Este é o Senhor, a quem aguardávamos; na sua salvação exultaremos e nos alegaremos." (Isaias 25.9).

Não tenho motivos para duvidar do grande amor de Deus por mim.

Não tenho como negar Sua presença constante em minha vida.

Quando digo que o melhor lugar para mim, é o centro da vontade de Deus, é porque é exatamente estando nele que sinto segurança e tenho constatado que não existem equívocos. Mesmo quando algo não acontece do modo como eu desejava, percebo com muita gratidão que a forma de Deus agir foi muito além, ou além das minhas expectativas.

Porque a nossa confiança está limitada ao conhecimento que temos de Deus, o tempo dEle na maioria das vezes se constitui em fonte de ansiedade, angústia, estresse e até amargura. Queremos ontem o que Ele sabe ser melhor para nós amanhã ou daqui a alguns meses e até anos.

A Bíblia também é um compêndio de testemunhos de homens que depositaram em Deus as suas expectativas, e apesar de muitas vezes abrigarem dores e até amargura em seus corações pelo tempo da espera, as suas esperanças não foram frustradas; no entanto eles devem ser apenas um parâmetro para nós hoje, uma inspiração, e não uma base para nos acomodarmos nela sem buscar as nossas próprias experiências na relação com Deus.

Ouvimos várias vezes pessoas dizerem: Quem sou eu para que Deus faça isto por mim? Sentindo-se pecadoras demais para serem atendidas por Deus. O fato é que tais pessoas avaliam Deus com a mesma medida mesquinha com que são conceituadas pela hipocrisia de muitos homens e até mesmo com a visão que enxergam a si mesmas, baseadas em valores jamais questionados.

Gosto de pensar em Jó que apesar de toda desgraça que lhe sobreveio, ele tinha um conceito correto da sua conduta, sem hipocrisias, sem falsa modéstia, não se deixou, portanto, confundir com as acusações improcedentes dos seus religiosos amigos, antes afirmou: “Pese-me Deus em balanças fieis e conhecerá a minha integridade.” (Jó 31.6).

Somos chamados a um autoconhecimento: “Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo ALÉM do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um.” (Romanos 12.3).

Portanto não recebemos de Deus alguma dádiva por méritos ou deixamos de receber por demérito, “mas é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que se torna galardoador dos que O buscam. (Hebreus 11.6).”

Não estou aqui advogando Deus, não se faz necessário, mas compartilhando aquilo que tem sido absolutamente verdade no meu caminhar com Ele. Lamento profundamente que muitos cristãos estejam navegando tão sozinhos em meio a verdadeiras intempéries, que estejam caminhando sob as mais profundas trevas quando a luz já raiou para todos, que estejam vivendo a mais cruel solidão, quando Jesus levou sobre Si o nosso abandono para que fôssemos abraçados pelo Pai.

Não estamos fazendo apologia às mentiras pregadas pelos mercenários da fé de que cristãos não sofrem as mesmas aflições que atingem todos os mortais sobre a face da terra, pois seria negar a afirmação do salmista Davi, que sofreu na pele tantas dores, quando ele diz: “Muitas são as aflições do justo, mas o senhor de todas o livra.” (Salmo 34.19).

Sabendo que nem sempre o livramento significa passar de nós o cálice, mas sim capacitar-nos para beber até a última gota, o que redundará para nós em eterno peso de glória, acima de toda comparação. (2 Coríntios 4.17).

A soberania de Deus não O afastará jamais da sua fidelidade!




Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

9 comentários:

Viviane Jácome disse...

Gui
Poxa que palavra, essa mensagem veio de encontro ao meu coração, com o que pedi a Deus para me falar amada. Deus continue a te usar como canal que leva sua mensagem aos que querem ouci-lo.
Beijos, te amo.

Paulo Sempre disse...

"... o dia do Senhor vem como ladrão de noite" (I Tessalonicenses, 5: 2). A expressão "como ladrão de noite" quer dizer inesperadamente. Assim não tem nada a ver com um dia da semana, que é certo e esperado por todos.



Os adventistas já tentaram desqualificar a explicação das testemunhas de Jeová, dizendo que João não estava no dia do juízo.



Mas isso é apenas argumentação religiosa para refutar idéias contrárias. Traduzindo em outras palavras, podemos dizer que o autor queria dizer: Tive uma visão em que me encontrava naquele dia em que deus irá julgar o mundo.

Seja como for , um beijo para você.

Paulo
PORTUGAL

Eduardo Medeiros disse...

Gui, compreendo que cada um caminha com Deus de acordo com as suas próprias necessidades interiores e pela compreensão de como DEus é e como ele age.

Não tenho nenhuma crítica a fazer ao teu texto, muito pelo contrário.

A crítica que eu tenho aos evangélicos é a falta de decisão em coisas das quais ele tem que decidir, e por puro medo, insegurança ou mesmo uma fé débil, mandam para Deus resolver.

Ficam às vezes eternamente esperando o "tempo de Deus" e se esquecem que nós caminhamos no "tempo que é nosso", então, cabe a nós gerenciá-lo.

Alguns serão sempre "crianças na fé", ou seja, jamais conseguirão aceitar andar de bicicleta sem rodinhas e sem que o Pai esteja lhe amparando.

Mas o que o pai quer mesmo é soltar o filho, tirar as rodinhas, e sorrir ao perceber que ele sabe pedalar. Se por acaso ele cair, o pai de qualquer forma estará sempre por perto para ajudá-lo a se levantar e subir de novo na bicicleta.

beijos

Eduardo Medeiros disse...

Olha, vou procurar aqueles comentários que você queria e vou tentar deixá-los como se fosse um texto para postagem e aí, te mando para você, ok?

Guiomar Barba disse...

Edu, fico feliz de receber sua visita e muito mais seu comentário.
Eu concordo com você que temos que saber caminhar e também estarmos preparados para os tombos.

Mas creio que há momentos em que realmente temos que olhar para o alto e pedir a intervenção do Pai.

Vou ficar esperando seu texto.
Abraço.

Adriana disse...

Querida,

veja se este que vc pediu

http://arazaodaesperanca.blogspot.com/2010/07/confissoes-de-um-pastora-ex-neo.html


abs

disse...

Adorei seu texto. Realmente devido a espera muitas vezes nos angustiamos, mas sabemos que Jesus e´nossa esperança e que em breve se levanta em nosso favor, este texto me fez lembrar dos heróis da fé. Muito bom seu texto. Paz seja contigo!

disse...

Edu, mas quando não conseguimos com nosso próprios esforços precisamos de uma intervenção como disse Guiomar, e é nesta hora que todo crente lança suas angustia e ansiedades para aquele que tem cuidado de nós. bjsss

Anônimo disse...

Olá, gostei bastante do seu blog, muitas materias abençoadas. Visita o meu. Caso vc goste, pode colocar o link no seu blog para divulgação, ok?

Deus te abençoe varão.


http://asombradacruzvazia.wordpress.com

Rico Cheng

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML