sábado, 17 de setembro de 2011

SABEDORIA



Jesus saiu dali e, no caminho, viu um cobrador de impostos, chamado Mateus, sentado no lugar onde os impostos eram pagos. Jesus lhe disse: ­- Venha comigo. Mateus se levantou e foi com Ele. Mais tarde, enquanto Jesus estava jantando na casa de Mateus, muitos cobradores de impostos e outras pessoas de má fama chegaram e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos. Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: - Por que é que o mestre de vocês come com os cobradores de impostos e com outras pessoas de má fama? Jesus ouviu a pergunta e respondeu: - Os que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. Vão e procurem entender o que quer dizer este trecho das Escrituras Sagradas: “Eu quero que as pessoas sejam bondosas e não que me ofereçam sacrifícios de animais”. Porque Eu vim para chamar os pecadores e não os bons. (NTLH).  (Mateus 9,9-13).

Eis aqui uma revelação fulgurante como a estrela da manhã: Jesus veio para os pecadores, para aqueles tão marginalizados quanto cobradores de impostos e para os enredados em escolhas sórdidas e sonhos desfeitos. Ele vem para executivos de corporações, sem-teto, superastros, viciados, fiscais do Imposto de Renda, vítimas da AIDS e até mesmo vendedores de carros usados. Jesus não apenas conversa com essa gente, mas janta com eles [...]

São esses os pecadores convidados chamados por Jesus para se aproximarem com Ele ao redor da mesa de banquete. Essa história permanece perturbadora para aqueles que não compreendem que homens e mulheres que são verdadeiramente preenchidos com a luz são aqueles que fitaram profundamente as trevas da sua existência imperfeita. Talvez tenha sido depois de meditar sobre essa passagem que Morton Kelsey escreveu: “A Igreja não é um museu para santos, mas um hospital para pecadores”. [...]

Deus não apenas me ama como eu sou, mas também me conhece como eu sou. Por causa disso não preciso aplicar maquiagem espiritual para fazer-me aceitável diante dEle. Posso reconhecer a posse de minha miséria, impotência e carência. [...]

Não escapou à atenção dos fariseus a intenção de Jesus de manter amizade com a ralé. Ele não estava apenas violando a lei, estava destruindo a própria estrutura da sociedade judaica. Todos os que viram isto murmuravam, dizendo que Ele se hospedara com homem pescador” (Lucas 19.7). Mas Zaqueu, não tão preocupado com a respeitabilidade, transbordou de alegria.
Trechos extraídos do livro “O Evangelho Maltrapilho” de Brennan Manning




Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

13 comentários:

disse...

Mana, uma vez eu estava conversando coma mulher de um pastor amigo meu, e ela disse assim: "na minha igreja não vamos aceitar pecados" s ereerindo a um casal de jovens que ela desconfiava que estava em fornicação. Me levantei e disse: "mana, então coloca todo mundo pra fora inclusive você e feche a igreja". Paz.

Guiomar Barba disse...

Rô, kkkkkkkkkkk ótima resposta. Exatamente isto. "As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos".

Muita gente esquece isto.

Beijo amiga querida.

Conexão da Graça disse...

Guiga, apesar desta verdade ser absolutamente contundente, ela ainda não é bem compreendida por uma grande maioria que tenta aperfeiçoar a obra da cruz com bom corportamento.

Isso nada mais é do anular a Graça que pelo mérito.

A inclusão no Reino é uma decisão unilateral do Pai em Cristo, não depende de quem nós somos, mas de QUEM DEUS É!

Com isso não digo que bom corportamento seja desnecessário. Quando temos boa conduta isso traz pacificação no relacionamento comigo mesmo e com o próximo, mas com Deus a coisa tá resolvida.

A parábola do filho pródigo deixa nítida esta idéia. O Pai não deixou de ser pai nem mesmo o filho deixou de ser filho, embora teve de arcar com as consequências de sua decisão.

Entendo que isso não diz respeito ao abandono do Pai e exclusão do filho, e sim que as nossas decisões tem um reflexo no contexto imediato.

Quanto a filiação e intenção do Pai em querer bem o filho, isso é irrevogável.

E é assim porque é Graça e já não há espaço para méritos!

Um abraço mana!

Guiomar Barba disse...

Pois é Fraklin, só que o filho tem o DNA do pai, né? O bom perfume de Cristo.

"Tendo cuidado de que ninguém se PRIVE da graça de Deus." Hebreus 12:15

"Por isso, tendo recebido um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente, com reverência e piedade;" Hebreus12:28

"De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao ESPÍRITO DA GRAÇA? Hebreus 10:29.

O preço que Jesus pagou foi imcomparavel, não podemos abusar desta maravilhosa graça.
Beijo.

disse...

Gui, disse:"Por isso, tendo recebido um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente, com reverência e piedade;" Hebreus12:28

Tremendo! Lembrei-me de J. Jenkis, ele escreveu o seguinte pensamento: Errar é humano, mas quando a borracha se gasta mais do que o lápis você está positivamente exagerado.

É certo que encontramos liberdade na graças e com ela a misericórdia, que nos garante perdão dos nossos pecados, mas não podemos nos esquecer que Deus é amor, mas também é justiça, que onde abundou o pecado superabundou a graça, mas saber lidar com ela é responsabilidade nossa. Que possamos em Deus saber lidar com a graça que nos foi dada.

A Deus toda honra e toda gloria.

Paulo Sempre disse...

Regressei a este seu blogue. O facto de verificar que a sua fé esta, cada vez mais, reforçada é prova que você é determinada e eternamente fiel ao seu Deus. Parabéns!!!

Beijo
Paulo
Portugal

Guiomar Barba disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Guiomar Barba disse...

Paulo, que surpresa mais gostosa.

Sim Paulo, permaneço como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre. O meu Deus tem me provado a cada dia que Ele é fiel e que nEle eu posso confiar.

Beijo e volte sempre ao Brasil. rsrs

Eduardo Medeiros disse...

"pecadores" aos olhos dos "santos". ninguém gostava de pagar imposto ao império invasor; um judeu cobrando impostos de judeus para os romanos era blasfêmia!

jesus tinha um lógica bem sem lógica...

uma questão para reflexão: quando jesus diz que não veio para os "bons e sãos" ele estava sendo irônico ou de fato estava dizendo que os bons não precisavam dele pois já praticavam a ética relacional que ele queria ensinar?

hum?

lá vem o mantra da rô: justiça de deus, justiça de deus, justiça de deus..kkkkkkkkkkkkkkk

a justiça de deus é declarar o homem justo. isso é graça. se ele condicionasse tal graça somente aos que aceitassem a jesus(como nós gostamos de pregar) já não seria graça incondicional. e jesus mesmo disse que não veio pregar a si mesmo...

é, eu tenho jeito mesmo, sempre criando caso nos blogues dos meus amigos ortodoxos..kkkkkkkkkkk

gui, querida, você é minha mana de fé, irmã camarada!!!

Viviane Jácome disse...

verdade Gui, o Senhor senta na mesa de pessoas como Mateus e como nós, que se hj aconteceu alguma transformação de nossa condição miseravel, foi pela graça dEle, e não por nós mesmos. O que me deixa triste, é de ver hj tantos "santos" se acharem acima de todos, por motivos diversos, julgando e apontando c fazia os fariseus, ou pior manipulando as mentes de pessoas q vão buscar esperança (Jesus), ditando regras e forçando uma repentina mudança. Confeso q ainda sou covarde, pois preciso agir, atraves do espirito Santo, p barrar essa força maligna q age em nosso meio. Beijos, te amo.

Carluca de Jesus disse...

Edu,""pecadores" aos olhos dos "santos". ninguém gostava de pagar imposto ao império invasor; um judeu cobrando impostos de judeus para os romanos era blasfêmia!"

Pois é, o Brasil deveria se adequar a administração de Jesus.

Que te parece, Simão? De quem cobram os reis da terra os tributos, ou o censo? Dos seus filhos, ou dos alheios?
Disse-lhe Pedro: Dos alheios. Disse-lhe Jesus: Logo, estão livres os filhos.
Mateus 17:25-26

Mas, para que os não escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, tira o primeiro peixe que subir, e abrindo-lhe a boca, encontrarás um estáter; toma-o, e dá-o por mim e por ti.

Por que será que Jesus se preocupou em não escandalizar, Ele era mestre de escândalos?...

Anônimo disse...

Edu, "uma questão para reflexão: quando jesus diz que não veio para os "bons e sãos" ele estava sendo irônico ou de fato estava dizendo que os bons não precisavam dele pois já praticavam a ética relacional que ele queria ensinar?"


E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. Mateus 19:1

Na minha ótica Jesus foi abrangente. Na versão de Mateus além de ensinar que aqueles que já foram justificados dos seus pecados, não necessitavam mais ser justificados, Ele também não deixou de evidenciar, como Ele sempre fazia, a hipocrisia dos fariseus quando disse: Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero e não holocausto; pois não vim chamar justos, e sim pecadores ao arrependimento.

Anônimo disse...

Edu, estes comentários são meus, Gui, é que nem eu nem Carluca conseguimos sair. kkkkkkkk

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML