segunda-feira, 7 de novembro de 2011



TERRA SECA

Quando secastes dentro de mim ó minha fonte?
Tu que lavavas o meu rosto no mais cálido ardor do sol
Que em asas me conduzias para além das montanhas
E me fazias repousar em vastos paraísos verdejantes.

Sinto o barulho dentro de mim de terra seca, rachando.
Já não ouço da minha cascata o som das serenatas
Meus olhos já não se embaçam com as lágrimas
Que rolando destorciam as imagens do meu querer

Se eu temesse a escuridão das noites do deserto
Diria que as aves rapinantes prenunciam morte
Vejo miríades de insetos famintos a minha volta
Com seu veneno cruel esperando o tempo à hora

Perscruto os céus negros, antes pontilhado de estrelas
Escuto o estrépito romper-se de fios de esperanças
Vejo a cada passo, sombras que se movem ameaçadoras
Fantasmas que surgem sugerindo ser reais e de presságios

Cambaleante, sem mais argumento para lutar e viver
Senti renascer dentro de mim uma força teimosa
Uma desafiante fome de sobreviver à força do deserto
Volto a escutar a voz firme da minha cascata que me canta

O deserto há de florescer e os pássaros irão cantar...

Guiomar Barba.








Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

13 comentários:

Caio Vanderlei disse...

Amém seu textos e mensagens são muito edificantes tia, Deus continue usando esse dom que Ele te concebeu para a Glória do Pai.

Guiomar Barba disse...

Um prazer você aqui Caio, volte sempre e que Deus continue te abençoando. Beijão.

Mariani Lima disse...

Lembrei de um hino que meu marido gosta muito que diz: "Nos galhos secos de uma árvore qualquer, o criador vê uma flor à brotar. Olhai, Olhai, Olhai os lírios cresceram nos campos e o Senhor nosso Deus os tem alimentado para nossa alegria. Para nossa alegria!!"

Que liiinda poesia, Guiomar!
Vamos seguir confiando que Deus conhece as nossas necessidades.
Um beijo!!Fica com Deus.

disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
disse...

Sempre que achamos que não sairemos mais de um deserto .É quando vem o socorro, ele nunca nos desampara mana. Somente creia!

Guiomar Barba disse...

Mari, eu também gosto muito deste hino. Canto sempre em casa.
Esta poesia foi escrita em um momento de muitos questionamentos. No entanto, amiga, minha fé não se abala por circunstâncias. Sei em quem tenho crido. Obrigada pela força. Beijão.

Guiomar Barba disse...

Rô, por isto no último verso, digo: O deserto florescerá, assim creio. Beijão.

Eúde Amor disse...

A primavera vai chegar, com suas flores, com seus frutos, sua beleza!
Só o Senhor nos promete isso. Aleluia!
Deus abençoe, Guiomar! Continue postando seus poemas! \o/

Donizete disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Donizete disse...

Oi Guiomar,

Esta é uma paráfrase de uma parte do Salmo 23: (Bíblia a mensagem)

"Mesmo que a estrada atravesse o vale da morte, não vou sentir medo de nada, porque caminhas do meu lado. Teu cajado fiel me transmite segurança.
Tu me renovas, e meu desânimo desaparece; minha taça transborda de bençãos.
Tua bondade e teu amor correm a traz de mim todos os dias da minha vida.
Assim, vou me sentir em casa no templo de Deus por todo o tempo em que eu viver.

Fica com Deus Pastora!

Guiomar Barba disse...

Obrigada Eúde, sim, a primavera vai chegar e com os pássaros eu vou cantar... Beijo.

Guiomar Barba disse...

Doni, obrigada, muito obrigada mesmo.
Eu quero, como o rei Ezequias, confiar absolutamente nEle. Sei que este processo é doloroso, mas vale a pena prosseguir.

Que Deus abençoe você. Abraço.

Eduardo Medeiros disse...

gui,

lindo poema!!!

infelizmente,muitas vezes, pessoas morrem no deserto. mas o importante, é nunca desistir de lutar.

beijos

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML