segunda-feira, 19 de março de 2012




                                             JOÃO BATISTA ENCARNAÇÃO DE ELIAS?

E os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Porque dizem então os escribas que é mister que Elias venha primeiro? E Jesus respondendo, disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas;

“Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do Homem. Então entenderam os discípulos que lhes falara de João o Batista. (Mateus 17.10-13).

Para que não haja entendimento de que João Batista era a encarnação do profeta Elias, trazemos aqui o testemunho do próprio João quando interrogado sobre a sua identidade. Vejamos:
“E perguntaram-lhe: Então quê? És tu Elias? E disse: Não SOU. És tu profeta? E respondeu: Não. (João 1.19,21).

Encontramos também o espantado tetrarca Herodes, após ouvir sobre os milagres e sinais que Jesus realizava, refletindo:
E o tetrarca Herodes ouviu todas as coisas que por ele foram feitas, e estava em dúvida, porque diziam alguns que João ressuscitara dentre os mortos; e outros que Elias tinha aparecido; e outros que um profeta dos antigos havia ressuscitado. (Note bem que “estes outros” cogitavam que eles haviam “ressuscitado” e não “reencarnado”).
E disse Herodes: A João mandei eu degolar; quem é, pois, este de quem ouço dizer tais coisas? E procurava vê-lo.  (Lucas 9:7-9).


Bom, pelo visto, o Herodes não esperava que mortos voltassem. Consciente de que havia degolado o “dedo duro”, estava seguro que ele jazia na terra dos mortos.

Que quis dizer então Jesus? Pois Ele mesmo falou: “Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém, maior do que João o Batista, (Mateus 11.1). Vale-se entender que nem mesmo o próprio Elias foi maior que João.

Ao anunciar a Zacarias o nascimento do seu filho que viria preparar o caminho para Jesus, o anjo lhe diz: “Porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe. E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus. E irá adiante dele “no” espírito e  virtude de Elias. (Lucas 1.15,17).  

O que significa que ele viria na mesma unção e poder de Elias. Ambos dirigidos pelo mesmo Espírito de Deus.

Aqui temos a explicação clara, de que João não era uma encarnação de Elias e sim, uma pessoa com a sua própria identidade, vindo a esta terra com uma missão muito especial. A Bíblia relata que Elias foi trasladado aos céus, não passando pela morte como João passou. Portanto, para quem crer em reencarnação, vai a pergunta: Como João poderia ser reencarnação de Elias, se Elias foi trasladado, não provando a morte?

Entendemos que quando Jesus falou que Elias viria, ele estava confirmando a profecia de Malaquias: Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor” (4.5) que certamente apontava para as “duas oliveiras” do que fala João na sua visão apocalíptica: E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco.
Estas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da terra.
E, se alguém lhes quiser fazer mal, fogo sairá da sua boca, e devorará os seus inimigos; e, se alguém lhes quiser fazer mal, importa que assim seja morto.
Estes têm poder para fechar o céu, para que não chova, nos dias da sua profecia; e têm poder sobre as águas para convertê-las em sangue, e para ferir a terra com toda a sorte de pragas, todas quantas vezes quiserem.
 “
(Apocalipse 11:3-6).

Esclarecendo melhor cito o que fala Tiago: “Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses não choveu sobre a terra.” (5.17). Concluímos que Elias e Moisés são as duas testemunhas de quem fala o apocalipse. “Moisés e Arão fizeram assim como o SENHOR tinha mandado; e Arão levantou a vara, e feriu as águas que estavam no rio, diante dos olhos de Faraó, e diante dos olhos de seus servos; e todas as águas do rio se tornaram em sangue.” (Êxodo 7.20). Sem esquecer que Arão, era apenas um oráculo para Moisés.

Entendemos, portanto, que Elias o Tesbita e João o Batista, foram pessoas com  identidades diferentes, embora tivessem um ministério com muito, em comum.

E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo. (Hebreus 9.27).













Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

2 comentários:

Mariani Lima disse...

Guio, esse tema é bem sensível e tanto os espíritas como evangélicos têm explicação plausível. Para aqueles que acreditam na reencarnação é muito fácil de compreender essa verdade, para os que nela não acreditam também há possibilidades de se refutar a ideia. Enfim, podemos encontrar respaldo bíblico para nossas doutrinas.
Leia a explicação espírita para esse fenômeno da transfiguração e vc verá que é muito interessante tb, faça uma leitura de fonte confiável.
Beijos lindinha!!!

Guiomar Barba disse...

Mari, antes de postar, eu li no site espírita, além disto já tive vários amigos que foram espíritas com os quais conversava. No entanto, mais de que pesquisas, eu tive várias experiências com espíritos e acredito piamente que aqueles que morrem não retornam a esta vida.

Abraço amiga.

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML