sábado, 1 de dezembro de 2012

A BÍBLIA NA MINHA VIDA




Um argentino muito barulhento, que junto com a sua família se tornou um amigão para nós, um dia em que o estava evangelizando, me gritou em alto e bom som: “Eu quero lá saber o que a Bíblia diz, Guiomar! Eu quero saber o que ela é na tua vida!” Para mim, foi uma excelente pergunta, me sacudiu e me levou a uma profunda reflexão. Eu jamais esqueci esta confrontação tão a queima-roupa.


Ele disse “quero saber o que a Bíblia é na tua vida”, e não o que foi. “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.” (Romanos 10:17). Foi ouvindo a palavra que meu coração se encheu de fé e eu recebi a Jesus como salvador da minha vida. No entanto, o apóstolo Paulo nos admoesta: Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor.” (Filipenses 2:12). 


O que Paulo estava nos orientando a fazer? Dinamizar a nossa salvação, tornando-a efetiva através de uma vida transformada pela renovação da nossa mente pelo Espírito Santo de Deus, para que, em consequência, a palavra SEJA realidade na nossa vida.

Sabemos que Jesus morreu trinitariamente, ou seja, pelo nosso espírito, alma e corpo. O sacrifício da cruz tem como proposta nos libertar do pecado; dos escombros em que reside a nossa alma; das enfermidades, na maioria das vezes, psicossomáticas que nos debilitam o corpo e até mesmo o espírito. Partindo deste princípio, devemos nos confrontar a nós mesmos, nos perguntando:

A Bíblia tem se cumprido em minha vida?

Em que áreas da minha vida posso dizer que fui transformado pela palavra?

Os meus pais; irmãos carnais e espirituais; parentes; amigos, vizinhos; colegas de trabalho, de escola, percebem que sou cristão?

Todos testemunham que a Bíblia é uma realidade na minha vida? Ou sou apenas uma caricatura de Cristão?

E o mais importante: como estou dentro de mim? Tenho paz de espírito? Qual o estado da minha alma? Ela tem se libertado dos traumas; complexos; medos; insegurança; culpa; das patologias que negariam que realmente a minha salvação tem se desenvolvido? Realmente posso confirmar que “a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.” (Provérbios 4.18).

A boa notícia é sabermos que a única forma para conseguirmos viver uma vida abundante, uma vida em que a Palavra seja realidade em nós, é AMAR. Amar, a nós mesmos; amar ao próximo; amar a vida. Tudo se resume em AMOR. Todavia, amar como Jesus amou define-se como: olhar como Ele olha; ouvir como Ele ouve; falar como Ele fala; em suma: andar como Ele andou. Mas por ser tão impossível vivenciarmos este amor com a nossa própria capacidade é que o Espírito Santo de Deus nos habilita. 
“Tudo podemos, então, naquEle que nos fortalece.”  (Filipenses 4.13). 

No entanto, não podemos nos esquecer de que o caminho é longo, e a nossa disposição de percorrê-lo é cheia de altos e baixos e muitas vezes de tentativas de atalharmos o percurso. Mas para nosso ânimo, Deus tem paciência em esperar, por ser Ele longânimo para conosco.

A Palavra de Deus é lâmpada para os nossos pés e luz para o nosso caminho.” (Salmo 119.105).

Por Guiomar Barba.






Subscribe to Our Blog Updates!




Share this article!

2 comentários:

Eúde Amor disse...

Amém! a Palavra continua viva e eficaz!
"...Deus tem paciência em esperar, por ser Ele longânimo para conosco."
tudo isso porque somos bipolares neh Guiomar?! #naoesqueço

Guiomar Barba disse...

Obrigada querido pela visita.
Somos bipolares e na maioria das vezes aproveitamos e cedemos mais para o pólo que agrada mais a nossa carne. Triste verdade.

Beijo.

Retornar para o topo da Página
Powered By Blogger | Design by Genesis Awesome | Blogger Template by Lord HTML